|Triumph

PCP demonstra solidariedade com os trabalhadores

Jerónimo de Sousa visita trabalhadores da Triumph

Jerónimo de Sousa deslocou-se esta tarde ao piquete de trabalhadores à porta das instalações da antiga Triumph, no concelho de Loures, em solidariedade com a sua causa e em defesa da continuidade da fábrica.

https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/26240896_10211394765280775_50457852723259140_o.jpg?itok=kkTgWn7I
Jerónimo de Sousa foi recebido calorosamente pelas trabalhadoras presentes
Jerónimo de Sousa foi recebido calorosamente pelas trabalhadoras presentesCréditosBruno Carvalho

Os trabalhadores da Gramax (antiga Triumph) estão em vigília à porta da empresa desde sexta-feira, para impedir a saída das máquinas e exigir os salários em atraso, depois de terem tomado conhecimento de que a administração tinha iniciado um processo de insolvência.

Nas conversas, Jerónimo de Sousa valorizou a determinação e a firmeza dos trabalhadores na defesa dos seus direitos, que, mesmo sob frio e chuva intensa, não permitem que o caso caia no silêncio.

O secretário-geral do PCP reiterou que, no imediato, «é urgente que a empresa em questão pague aquilo que deve aos trabalhadores», e defendeu a continuidade da empresa.

«Não existe uma razão justificativa para encerrar esta unidade de produção», afirmou Jerónimo de Sousa, sendo por isso «importante salvar esta empresa», pô-la a laborar (…), pois estamos perante uma empresa sem dívidas, que tem mercado, com viabilidade e que tem o conhecimento e saberes dos trabalhadores».

Nesse sentido, garantiu o uso de todos os meios ao seu alcance, incluindo a apresentação de um projecto de resolução contra o encerramento, e afirmou que vão «chamar o ministro da Economia» para exigir esclarecimentos e confrontá-lo com este caso.

«Se o ministro esteve presente quando a empresa foi vendida e reabriu, então nesta situação também se justifica a sua presença, porque não basta estar nas horas boas, também é preciso estar nas horas más», disse Jerónimo de Sousa às dezenas de trabalhadoras à sua volta.

O secretário-geral do PCP referiu ainda o quão importante é o Governo pronunciar-se sobre este caso e lembrou que este não pode «limpar as mãos desta situação», tem que «dar garantias a estas trabalhadoras com salários em atraso» e não pode «ficar indiferente».

«Sr. Marcelo venha dar um bocadinho de apoio»

No final da visita, na qual o presidente da Câmara Municipal de Loures, Bernardino Soares, também esteve presente, as trabalhadoras agradeceram a presença de Jerónimo de Sousa e todo o apoio que o PCP tem prestado.

As trabalhadoras lamentaram ainda que o Presidente da República e o primeiro-ministro não tenham vindo ao pequeno-almoço solidário na segunda-feira, para o qual foram convidados, mas afirmam que gostavam que viessem, ficando assim à sua espera.

Tópico