|cantinas

Greve quinta-feira nas cantinas escolares do Porto contra precariedade

A concessionária das cantinas escolares do Porto, Eurest, contratava todos os anos os trabalhadores por dez meses. Este ano decidiu não admitir ninguém e recorrer a empresas de trabalho temporário.

Créditos / Sindicato de Hotelaria do Norte

A Eurest é a concessionária do serviço de refeições das cantinas escolares do município do Porto. Mais de 90% dos trabalhadores têm vínculos precários, uma vez que a empresa os contrata todos os anos em Setembro e despede-os em Junho ou Julho do ano seguinte.

Este ano, em vez de contratar directamente os trabalhadores, como faz habitualmente, a Eurest decidiu não contratar nenhum trabalhador e empurrou-os para empresas de trabalho temporário, denuncia o Sindicato da Hotelaria do Norte (CGTP-IN).

Acontece que estas empresas de trabalho temporário estão a contratar apenas para três meses (meados de Setembro a meados de Dezembro) e não para todo o ano lectivo.

O sindicato denuncia que há trabalhadores com mais de 20 anos sucessivos de trabalho nas cantinas escolares do município do Porto e que este ano estão a ficar de fora das contratações.

«Estes trabalhadores, vítimas da precariedade há muitos anos, vêem a mesma agravar-se de forma significativa», afirma a organização sindical, referindo que já protestou junto da Eurest e da Câmara Municipal do Porto, mas não obteve resposta.

A greve convocada para esta quinta-feira terá uma concentração de protesto pelas 8h junto à Câmara Municipal do Porto.

Tópico