|Minas da Panasqueira

Greve na Panasqueira contra proposta de aumento de 11 cêntimos por dia

Os trabalhadores da Beralt Tin & Wolfram, concessionária das Minas da Panasqueira, decidiram fazer greves de duas horas diárias, entre 26 de Abril e 8 de Maio, devido à proposta «vergonhosa» da direcção.

Créditos / JNP - U. Porto

De acordo com a decisão tomada em plenário, realizado no dia 7, o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM/CGTP-IN) apresentou o pré-aviso de greve.

Além das duas horas diárias, para todos os trabalhadores, a greve abrange ainda todo o trabalho suplementar, igualmente entre os dias 26 de Abril e 8 de Maio.

Em comunicado aos trabalhadores, o STIM refere que a empresa propõe 0,5% para a actualização salarial, o que, para os salários mais baixos, representa cerca de 11 cêntimos por dia, não dando sequer para «comprar uma carcaça de pão».

Nos últimos sete anos, os salários dos trabalhadores já perderam cerca de 100 euros face à evolução do salário mínimo nacional, refere o comunicado. Na negociação das reivindicações é preciso inverter este caminho, defende o STIM, salientando que a empresa, do Grupo Almonty, tem claramente condições para satisfazer «as justas reivindicações dos trabalhadores», até porque se prepara para investimentos noutras regiões do País.

No comunicado considera-se que as respostas da administração às propostas dos trabalhadores são «absolutamente vergonhosas», pois não têm em conta a melhoria das «péssimas condições de trabalho» e não permitem uma melhoria das condições de vida daqueles que, diariamente, põem «o melhor das suas capacidades ao serviço da empresa, muitas vezes colocando em risco a sua saúde e a sua própria vida».

Tópico