|ensino

Greve na Escola Dr. José Afonso com forte adesão

As trabalhadoras não docentes da Escola Secundária Dr. José Afonso, no Seixal, estão esta quinta-feira em greve. Protesto à porta reuniu comunidade escolar, pela contratação urgente de mais pessoal.

Concentração à porta da escola realizada esta manhã
Concentração à porta da escola realizada esta manhãCréditos

A greve parcial na Escola Secundária Dr. José Afonso, no Seixal, decorreu entre as 8h e as 10h de hoje, tendo sido realizada ainda uma concentração à porta do estabelecimento, que contou com uma elevada participação das trabalhadoras, bem como dos alunos e pais.

Em nota, o Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul (STFPSSRA/CGTP-IN) afirma que o estabelecimento de ensino tem «uma grave falta de trabalhadores não docentes, o que tem originado o aumento da sobrecarga de trabalho para os que estão ao serviço».

A estrutura sindical realça que se trata de uma escola com 1293 alunos, dos quais 48 com necessidades educativas especiais, mas os funcionários ao serviço são apenas 16, estando divididos em dois turnos, entre as 8h e as 20h.

A falta de pessoal obriga a que alguns serviços tenham que fechar ao longo do dia, como por exemplo a Biblioteca e o Centro de Recursos, visto que «não há trabalhadores em número suficiente para assegurar este tão importante sector na escola».

Além disso, o sindicato afirma que quatro desses trabalhadores estão de baixa, devido a uma doença de longa duração. Porém, «para o Ministério da Educação é como se estivessem a trabalhar, não sendo substituídos», frisa a estrutura.

«Para o Ministério da Educação tudo continua na normalidade. Pelo contrário, para os trabalhadores não docentes desta escola e de muitas outras do país com o mesmo cenário, o seu trabalho diário é um caminho para a exaustão», lê-se.

Tópico