|Charneca de Caparica

Greve contra «medidas persecutórias» na Charneca

Os trabalhadores da União de freguesias da Charneca de Caparica e Sobreda participaram nesta paralisação pelo cumprimento dos seus direitos e defesa do serviço público.

 

Créditos / STAL

Em comunicado, a Comissão Sindical das Juntas de Freguesia do Concelho de Almada denuncia que o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local (STAL/CGTP-IN) já tenta o «diálogo desde Fevereiro de 2018, sempre sem resposta por parte do Executivo» da União de freguesias da Charneca da Caparica e Sobreda. 

O sindicato já interveio várias vezes na Assembleia de Freguesia, a última das quais no passado dia 29 de Junho, onde denunciou a indisponibilidade do Executivo em receber o sindicato, a par do «clima de perseguição, do regulamento ilegal e da videovigilância». 

A estrutura sindical denuncia ainda que a junta continua com «uma atitude persecutória», de tentativa de «imposição do medo» e que, recentemente, após a marcação da greve, já formalizou mais dois processos disciplinares.

Os trabalhadores em greve exigiram a imediata retirada da videovigilância no estaleiro, o cumprimento do acordo colectivo assinado com o STAL e a reintegração imediata e permanente de um trabalhador através da desistência formal da imposição do despedimento.

Tópico