|transportes

Ferroviários fazem greves contra agente único nos comboios

Os trabalhadores da CP, Medway e Takargo avançaram com greves para para 4, 12 e 13 de Junho, contra a possibilidade de as operadoras colocarem um único agente nos comboios.

 O plano de modernização da Linha do Oeste foi anunciado em 2016
O plano de modernização da Linha do Oeste foi anunciado em 2016Créditos / Gazeta das Caldas

Inicialmente só marcada para 4 de Junho, novos pré-avisos de greve foram divulgados ontem, juntando-se a essa 12 e 13 do mesmo mês. Estas abrangem todos os trabalhadores ferroviários da CP, Medway e Takargo, incluindo todo o tipo de trabalho nesses dias ou que transite de véspera.

Em causa estão as alterações ao Regulamento Geral de Segurança (RGS) que incluem várias alterações de conceitos, tal como o «agente único», que a pretexto da redução de custos de operação reduz o número de trabalhadores por comboios, possibilitando apenas um.

«A circulação de comboios só com um agente, põe em causa a segurança ferroviária - trabalhadores, utentes e mercadorias - e por isso é preciso que não subsistam dúvidas no Regulamento Geral de Segurança», lê-se no comunicado conjunto, assinado por uma larga frente sindical.

Os trabalhadores afirmam estar contra «todas as alterações que poêm em causa a segurança fevorriária», tanto dos utentes como deles próprios, frisando ainda que tais medidas de «desregulamentação do sector ferroviário tem por objectivo único reduzir custos operacionais para beneficiar os grupos económicos privados que já se perfilam para explorar comboios em Portugal».

Em Novembro, os sindicatos dos ferroviários suspenderam uma greve após terem acordado com o Governo que a redação do RGS iria ser negociada, de forma a garantir a segurança nos comboios. Porém, tal não aconteceu, tendo o Governo dado recentemente aval ao documento.

Tópico