|lutas sindicais

Efacec cumpriu primeiro de dois dias de greve

Os trabalhadores da Efacec estiveram em greve esta sexta-feira em defesa do caderno reivindicativo para 2019. O segundo dia de greve está marcado para 15 de Novembro, dentro de uma semana.

Trabalhadores da Efacec concentrados em protesto, em 27 de Outubro de 2017. Foto de arquivo
Trabalhadores da Efacec concentrados em protesto, em 27 de Outubro de 2017. Foto de arquivoCréditos / SITE Norte

Os trabalhadores da Efacec estiveram em greve esta sexta-feira, entre as 14 e as 16 horas, em defesa do caderno reivindicativo para 2019.

A paralisação ocorreu nas duas unidades industriais do grupo Efacec no norte do País, em Moreira da Maia e em Arroteia (São Mamede de Infesta) – onde os trabalhadores se reuniram junto à entrada principal das instalações, acompanhados por dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Norte (SITE Norte/CGTP-IN)

Os trabalhadores da Efacec batem-se por um aumento de 50€ em 2019, retroactivo a Janeiro, e por uma quinta diuturnidade, entre outras matérias.

A empresa recusa-se a negociar aumentos salariais para este ano e passa qualquer discussão para 2020. As reuniões de 30 de Outubro e 4 de Novembro entre a administração e os sindicatos não revelaram qualquer progresso nas negociações e os trabalhadores viram-se forçados a recorrer à greve.

Segundo Miguel Moreira, dirigente do SITE-Norte, declarou ao AbrilAbril, a administração procurou reduzir o impacto da greve dispensando trabalhadores e marcando, para o mesmo dia, acções de formação profissional para outros, mas os trabalhadores mantém firme a sua disposição de lutar por aumentos ainda em 2019.

Para a próxima sexta-feira, 15 de Novembro, está marcada uma nova paralisação. A luta prossegue.

Tópico