|1.º de Maio

Dia do Trabalhador será jornada de luta

Para a CGTP-IN, as comemorações do 1.º de Maio serão uma grande jornada de luta, nas empresas e nas ruas, com uma forte acção de denúncia e reivindicação.

Comemorações do 1.º de Maio em Lisboa
Créditos / AbrilAbril

Sublinhando a necessidade de manter as medidas de protecção e distanciamento social, a CGTP-IN divulgou, em comunicado, os planos das comemorações do 1.º de Maio, que deverão corresponder à necessidade de enfrentar a presente situação, «muito desequilibrada a favor das grandes empresas e do capital».

Para a Intersindical, continua a ser fundamental a «luta intransigente» pelos direitos e interesses dos trabalhadores, bem como o reforço «consistente» do Serviço Nacional de Saúde e dos serviços públicos, «para agora e para depois».

«Esta situação está a ser aproveitada para um profundo ataque aos direitos, desde o emprego aos salários, aos direitos consagrados na lei e na contratação colectiva», pode ler-se na nota.

Neste quadro, as comemorações do 1.º de Maio serão feitas através de uma jornada nacional de luta com o lema «Defender a Saúde e os Direitos dos Trabalhadores – Garantir Emprego/Salários/Serviços Públicos». Esta acção terá um conjunto de componentes de informação, denúncia e reivindicação, nos locais de trabalho e nas ruas, com uma ampla divulgação digital, informa a central sindical.

«Não sendo possível realizar as manifestações e concentrações que juntariam muitos milhares de trabalhadores em todo o País, iremos dar expressão à indignação, protesto e reivindicações dos trabalhadores nas mais diversas formas. Estaremos na rua, garantindo as necessárias medidas de protecção e distanciamento», lê-se no documento.

Tópico