Jornadas parlamentares decorrem hoje e amanhã em Coimbra

Comunistas querem mais para as longas carreiras contributivas

O PCP quer uma «resposta urgente, que corresponda às justas expectativas» dos trabalhadores com longas carreiras contributivas, afirmou Jerónimo de Sousa na abertura das jornadas parlamentares comunistas.

O Governo propõe que os trabalhadores a partir dos 60 anos de idade e 48 anos de descontos passem a ter acesso à reforma antecipada sem penalizações
O Governo propõe que os trabalhadores a partir dos 60 anos de idade e 48 anos de descontos passem a ter acesso à reforma antecipada sem penalizaçõesCréditos

O secretário-geral do PCP reafirmou a proposta do seu partido: «Que um trabalhador com 40 anos de descontos tenha direito à reforma por inteiro sem penalizações.» A proposta de alteração ao acesso à reforma antecipada, apresentada na última semana pelo Governo a patrões e sindicatos, «não corresponde aos anseios dos trabalhadores e defrauda as expectativas criadas», avisou.

Jerónimo de Sousa revelou que vai voltar a questionar o primeiro-ministro, no próximo debate quinzenal (quarta-feira), «para garantir que nesta matéria a resposta vá o mais longe possível, trazendo justiça para o maior número de trabalhadores».

As jornadas parlamentares do PCP decorrem hoje e amanhã, no distrito de Coimbra, dedicadas aos temas da produção, emprego e soberania, e inserem-se na campanha que o partido tem em curso – «Libertar Portugal da submissão ao euro».