|precariedade

Com mais 45 trabalhadores efectivos mas ainda muito caminho a percorrer

A maior empregadora de Peniche, a European Seafood Investments Portugal, tem vindo a regularizar alguns contratos, fruto da luta dos trabalhadores, muito embora a maioria mantenha o vínculo precário.

A Cofaco é a proprietária da marca Bom Petisco
A Cofaco é a proprietária da marca Bom PetiscoCréditosJosé Coelho / Agência Lusa

Em comunicado enviado ao AbrilAbril, o Sindicato dos Trabalhadores da agricultura e das indústrias de alimentação, bebidas e tabacos de Portugal (SINTAB/CGTP-IN) saúda a passagem ao quadro dos trabalhadores efectivos da empresa de mais de 45 trabalhadores.

Só este ano, «fruto da regular acção e intervenção sindical», foi possível dar este importante passo, pese embora seja ainda «insuficiente face ao número global de trabalhadores com vínculo precário» a laborar na European Seafood Investments Portugal. 

Não deixando nunca, salienta o SINTAB, de valorizar as conquistas destes trabalhadores, é importante referir que a empresa factura, anualmente, cerca de 50 a 60 milhões de euros, exportando a grande parte do seu produto para o estrangeiro. Certo é que o sindicato «continuará a intervir junto dos trabalhadores, organizando a sua luta, exigindo que a um posto de trabalho permanente corresponda um vínculo de trabalho efectivo».

A empresa, centenária, tem vindo a mudar frequentemente de dono. Fundada em 1915, só nos últimos anos já pertenceu à Heinz, à Lehman Brothers Merchant Banking, a MW Brands, tendo sido, por fim, adquirida em 2010 por 680 milhões de euros, pela Thai Union Frozen Products, uma das maiores produtoras de conservas à escala mundial.

Tópico