|insolvência

Cervejaria Galiza fecha portas 8 meses depois

O Sindicato da Hotelaria do Norte lamenta o encerramento da Galiza, salientando que «o restaurante é viável», uma vez que, «mesmo em tempos de pandemia, aguentou-se, e os salários foram sempre pagos».

Trabalhadores da Cervejaria Galiza
Trabalhadores da Cervejaria Galiza Créditos / Voz do Operário

O Tribunal Judicial do Porto decretou a insolvência da sociedade Actividades Hoteleiras Galiza Portuense, que detém a Cervejaria Galiza.

O administrador de insolvência decidiu esta terça-feira, na sequência de uma reunião com os trabalhadores, encerrar o estabelecimento por não entender estarem reunidas as condições para o manter aberto.

Numa nota à imprensa, o Sindicato da Hotelaria do Norte (CGTP-IN) lamenta o encerramento da Galiza tendo em conta que «o restaurante é viável», uma vez que, «mesmo em tempos de pandemia, aguentou-se, e os salários foram sempre pagos».

A estrutura sindical lembra que os trabalhadores impuseram a reabertura do estabelecimento a 11 de Novembro de 2019 e mantiveram o estabelecimento aberto estes oito meses, recuperando os salários e outras retribuições em atraso num total de dez meses.

Esperando que a situação possa ser revertida, o sindicato aguarda agora a assembleia de credores que terá lugar dia 4 de Agosto.

Também o PCP refere que os trabalhadores da Cervejaria Galiza demonstraram «uma notável postura de dignidade, recusando o encerramento fraudulento pretendido pelos proprietários e assumindo a gestão da cervejaria».

Os comunistas afirmam que o processo demonstra «uma inaceitável postura do Governo», que não esteve disponível para reunir com os representantes dos trabalhadores, sendo «conivente» com o desfecho.

Tópico