|precariedade

Autoeuropa e empresas de trabalho temporário lesam Segurança Social

Em período de férias da cliente Autoeuropa, empresas como a Randstad ou a Adecco preparam-se para despedir, colocando a Segurança Social a pagar o tempo em que os trabalhadores deveriam estar de férias. 

A par do alerta, o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul (SITE Sul/CGTP-IN) anuncia que já contactou a Volkswagen (VW) Autoeuropa e restantes empresas do Parque Industrial a propósito destes despedimentos ilegais. 

Autovision People, Adecco, Randstad e Kelly Services são algumas das empresas de trabalho temporário que pretendem despedir os trabalhadores com contratos de trabalho precário aquando da paragem para férias da sua principal cliente, a VW Autoeuropa. 

O sindicato afirma que são milhares os trabalhadores que, directa ou indirectamente, laboram com contratos de trabalho precário, seja nas formas de trabalho temporário, falsos recibos verdes e contratos a termo, apesar de serem necessários diariamente nas empresas.   

«Muitos deles preenchem postos de trabalho permanentes, mas quase todos são contratados com justificações como acréscimo temporário de trabalho ou substituição de trabalhadores efectivos que se encontram ausentes por motivo de acidente, baixa médica, doença profissional ou direitos de paternidade/maternidade», realça.

Porém, acrescenta a estrutura sindical, «quando chega a época de férias, as empresas procuram livrar-se deles através da rescisão do contrato de trabalho», recorrendo abusivamente à Segurança Social para lhes pagar o subsídio de desemprego.

O sindicato recorda que «já houve casos destes em tribunal», uma vez que os períodos de paragem de produção, como o período de férias, «são situações previstas e fazem parte do normal funcionamento das empresas».

Tópico