|tratamento de resíduos

Aumentos salariais e subsídio de risco levam a paralisação da Algar

A greve dos trabalhadores da Algar – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos teve uma «grande adesão» e um «forte impacto nos serviços», informou o SITE Sul.

Créditos / Site Sul

Esta luta dos trabalhadores da Algar foi decidida nos plenários realizados nos meses de Junho e de Agosto perante a falta de respostas positivas da administração da empresa às reivindicações apresentadas.

O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul (SITE Sul/CGTP-IN) recorda que a greve desta segunda e terça-feira tem como objectivo o aumento dos salários e subsídios de refeição em 2020, a criação de um subsídio de risco e a reposição dos valores do trabalho suplementar pagos em 2012. 

Os trabalhadores exigem ainda salário igual para todos os motoristas da empresa e outras categorias profissionais, bem como a criação de uma tabela salarial que permita a progressão de todos os trabalhadores na respectiva categoria profissional.

Durante a manhã de ontem, os trabalhadores em luta concentraram-se nas portarias de instalações da empresa, tais como a sede, em Almancil (Loulé), o Aterro Sanitário do Barlavento, em Chão Frio (Portimão), e a Central de Valorização Orgânica, na Mesquita de Baixo (São Brás de Alportel).

Tópico