|Economia

Reposição de rendimentos resulta no maior crescimento económico desde 2000

A economia portuguesa cresceu 2,7% em 2017, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE). O consumo interno foi o principal motor do maior crescimento desde a adesão à moeda única.

Uma cliente numa peixaria, em Lisboa. 9 de Julho de 2012
Uma cliente numa peixaria, em Lisboa. 9 de Julho de 2012CréditosRodrigo Baptista / Agência LUSA

O Produto Interno Bruto cresceu 2,7% durante o ano de 2017, de acordo com a estimativa rápida do INE. Este é o valor mais elevado desde 2000, quando a economia cresceu 3,8%. Desde o desaparecimento do escudo que a economia não crescia a um ritmo tão elevado como durante o ano passado.

Segundo a nota do INE publicada esta manhã, a subida do consumo interno terá sido o principal factor para a dinâmica económica do ano passado. Apesar de a subida do salário mínimo nacional ter sido limitada pelo acordo entre o PS e o BE, em 2017 desapareceram definitivamente muitos dos cortes salariais e a sobretaxa do IRS, e grande parte dos pensionistas e reformados receberam um aumento extraordinário até dez euros.

Tópico