|Ordem dos Advogados

Ordem na Ordem

Advogados criticam a Ordem pela manifesta incapacidade de dar resposta satisfatória às centenas de advogados prejudicados e afectados pelos efeitos da pandemia.

O grupo de advogados «Ordem na Ordem na Ordem, Justiça na Justiça» reuniu com a Ordem dos Advogados (OA), na pessoa do seu Bastonário e de membros do Conselho Geral, na sede da OA, em Lisboa, a 11 de Maio de 2020
A iniciativa Ordem na Ordem/Justiça na Justiça considera que a OA «tem que ser parte na solução em vez de acrescentar problemas»Créditos / Ordem dos Advogados

A iniciativa Ordem na Ordem/Justiça na Justiça, que protagonizou uma candidatura às últimas eleições para a Ordem dos Advogados (AO), afirma que os advogados não sentem o apoio da sua Ordem e acusam o actual Bastonário de se revelar «indiferente».

Em comunicado, divulgado este domingo, consideram inaceitável a proposta da AO para que «os advogados com significativa quebra de rendimentos deixem de advogar» e acusam o «Bastonário e o seu Conselho Geral de brindar os advogados com panaceias e placebos».

A Ordem na Ordem/Justiça na Justiça considera que a OA «tem que ser parte na solução em vez de acrescentar problemas» e sublinha a necessidade de «reduzir a pressão dos encargos da Ordem e da Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores sobre os advogados, nesta fase», criando «mecanismos inovadores de efectivo apoio financeiro».

Por fim, chamam a atenção para a «recente deserção de mais seis elementos do Conselho Geral da Ordem dos Advogados» e desafiam o Bastonário a «cumprir o seu programa eleitoral começando desde logo por prestar o necessário apoio aos advogados».

Tópico