|PCP

Jerónimo de Sousa falou na apresentação das conclusões da reunião do Comité Central

OE2018 terá voto a favor na generalidade, mas há caminho a fazer

O secretário-geral do PCP anunciou o voto a favor na generalidade, na próxima sexta-feira, mas sublinhou que é necessário ir mais longe na especialidade.

O secretário-geral do PCP, Jerónimo Sousa, durante a conferência de imprensa de apresentação das conclusões do Comité Central do PCP, em Lisboa. 29 Outubro 2017
O secretário-geral do PCP, Jerónimo Sousa, durante a conferência de imprensa de apresentação das conclusões do Comité Central do PCP, em Lisboa. 29 Outubro 2017CréditosManuel de Almeida / Agência LUSA

Jerónimo de Sousa avançou com o sentido de voto do seu partido na generalidade do Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), na conferência de imprensa de apresentação das conclusões da reunião de hoje do Comité Central do PCP, em Lisboa.

O dirigente comunista afirmou que «em tudo quanto é avanço e conquista está a intervenção do PCP, a sua contribuição, as suas propostas e persistência». As alterações no IRS, a reposição e desbloqueamento de direitos para os trabalhadores da Administração Pública e o aumento extraordinário de pensões foram destacados pelo secretário-geral do PCP.

Apesar do voto a favor na generalidade, Jerónimo de Sousa elencou um conjunto de medidas que o seu partido espera ver incluídas no documento na discussão na especialidade, como o alargamento da gratuitidade dos manuais escolares, o fim do corte de 10% no subsídio de desemprego ou a subida da derrama para as empresas com mega-lucros.

A propósito dos fogos florestais, o Comité Central do PCP considera que o Governo deve dar a resposta que não deu até agora às necessidades de valorização da floresta e do mundo rural, assim como no plano do combate aos incêndios florestais. No entanto, rejeita o aproveitamento dessa necessidade para que se faça marcha-atrás nos avanços inscritos no OE2018.

Tópico