|mulheres

Mulheres em luta por trabalho com direitos, igualdade e emancipação

Construindo as comemorações do Dia Internacional da Mulher, o MDM desenvolve a campanha «Não há desculpa!» e exige políticas que garantam direitos em diversas áreas, bem como o combate às violências.

Núcleo Odivelas do MDM pintando um mural relacionado com a Manifestação Nacional de Mulheres 
Núcleo Odivelas do MDM pintando um mural relacionado com a Manifestação Nacional de Mulheres Créditos / MDM

O Dia Internacional da Mulher é assinalado de múltiplas formas como uma jornada «de luta, de comemoração e de solidariedade com as mulheres que lutam em todo o mundo pela igualdade e pelo direito a uma vida em liberdade, com igualdade, progresso e paz», afirma em nota de imprensa o Movimento Democrático de Mulheres (MDM).

Os núcleos do movimento têm estado a contactar com mulheres de vários sectores de actividade, discutindo temas que, nota o MDM, são essenciais para elas.

Com muita participação, têm-se realizado reuniões, conversas, contactos e distribuições, que visam construir as comemorações do Dia Internacional da Mulher e a Manifestação Nacional de Mulheres, que o MDM organiza pelo sexto ano consecutivo e que irá decorrer no Porto, no próximo sábado, e em Lisboa, uma semana depois.

Em torno destas comemorações, «há um crescente apelo à luta pelo direito ao trabalho com direitos, condição de igualdade e de emancipação, por mais Serviço Nacional de Saúde, em defesa da saúde sexual e reprodutiva das mulheres, e para a exigência de vencer violências, viver direitos», lê-se na nota.

«Não há desculpa» para adiar os direitos

É também neste contexto que – explica o texto – o MDM tem vindo a promover, em todos os distritos do País, a campanha «Não há desculpa!».

Segundo o MDM, «não basta reconhecer que a pandemia agravou as condições de vida e de trabalho e o ciclo de múltiplas violências e de exclusão, discriminações e desigualdades que muitas mulheres vivem».

A concretização da igualdade na vida tem de «sair de intenções e dos discursos pontuais», insiste o movimento, que exige políticas que «visem garantir o acesso a importantes direitos – no trabalho, na saúde, na habitação, no combate às violências sobre as mulheres».

Referindo que estará nas ruas em todo o País também no dia 8 de Março, para reafirmar «o significado histórico deste dia para a luta das mulheres», o MDM dirige-se a todas com um «Vem daí e luta», para que façam das comemorações uma jornada de luta por direitos, de denúncia dos problemas e de afirmação força e unidade.

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui