|jovens trabalhadores

Maioria dos jovens portugueses dependem financeiramente da família

Estudo de imobiliária para conhecer as tendências de consumo dos potenciais clientes, dá um retrato dos problemas que afligem os jovens e, em particular, os jovens trabalhadores.

Lisboa é a cidade onde os preços da habitação são mais elevados
Lisboa é a cidade onde os preços da habitação são mais elevadosCréditos / Pixabay

O estudo «II Observatório do Mercado da Habitação em Portugal», realizado pela operadora imobiliária Century 21 com o objectivo de perceber os futuros clientes da imobiliária, revela que a maioria dos jovens portugueses dependem financeiramente da família e que mesmo aqueles que trabalham precisam de ajuda familiar para pagar a habitação em que vivem.

Segundo declarações de Ricardo Sousa, CEO da empresa, citadas pelo Dinheiro Vivo, o estudo «desmistifica uma ideia preconcebida sobre esta geração, de que é acomodada ao conforto da casa dos pais», e indica que é «a falta de recursos económicos» que condiciona as suas decisões em matéria de habitação.

Se 40% dos jovens portugueses entre os 18 e os 34 anos vivem debaixo do tecto dos pais – a idade média da emancipação em Portugal está próxima dos 30 anos, segundo o CEO da Century 21 – «é esmagador o número de jovens que não estão satisfeitos com a sua situação actual. Há uma percentagem muito relevante de jovens que querem sair de casa para ter a sua independência», afirma Ricardo Sousa.

Precariedade e baixos salários afligem a maioria dos jovens

A razão para que «os jovens não se emancipem mais cedo» é de outra ordem: o estudo evidencia que «é a precariedade do trabalho e as limitações nos rendimentos» que condicionam as suas decisões.

Cerca de 63% dos inquiridos na análise «conta com menos de 1000 euros mensais e 17% têm ganhos inferiores 500 euros. Apenas cerca de 12% indicam rendimentos entre 1000 e 1500 euros, por mês». O resultado é que 56% dos inquiridos dependem financeiramente da família para sobreviver.

Mesmo entre aqueles que são considerados emancipados, 37% «depende financeiramente da família ou parceiro», refere por sua vez a Agência Lusa, que também cita o referido estudo. «Apenas 36,4% dos jovens consegue assumir a totalidade dos gastos com a habitação onde vive» e «em 21% dos casos os custos da casa são integralmente suportados pelos pais», refere a agência.

A empresa realizou 800 inquéritos entre 18 e 25 de Junho, tendo por alvo jovens dos 18 aos 34 anos, com 50,3% a serem respondidos por mulheres e 49,7% por homens.

Tópico