|25 de Abril

A «Grândola» vai cantar-se à janela

Uma vez que as habituais manifestações e celebrações populares não se realizarão, os cidadãos serão chamados a cantar a senha da revolução à janela das suas casas, para assinalar a conquista da liberdade.

25 de Abril de 2019, Avenida da Liberdade, Lisboa
25 de Abril de 2019, Avenida da Liberdade, Lisboa CréditosMANUEL DE ALMEIDA / LUSA

A Comissão Promotora das Comemorações Populares do 25 de Abril apelou a todos os cidadãos confinados em casa que, pelas 15h do dia em que se comemoram os 46 anos da revolução dos cravos, se «reúnam» à janela para cantar a «Grândola, Vila Morena» e o hino nacional. 

Devido às medidas de confinamento e distanciamento social impostas pelas autoridades na sequência do surto de Covid-19, e tendo em conta as restrições impostas, as habituais manifestações populares de comemoração do Dia da Liberdade não terão lugar.

Contudo, as várias associações e organizações que promovem as comemorações chamam todos os cidadãos, «separados mas unidos», a homenagear a revolução, apelando mesmo aos que estiverem a trabalhar para que, se o puderem fazer, suspendam os trabalhos e cantem.

«Para cumprir Abril é preciso impedir que sejam os trabalhadores e as pessoas mais vulneráveis a serem as principais vítimas das nefastas consequências económicas e sociais da crise provocada pelo surto epidémico da Covid-19», pode ler-se no apelo.

Também o secretário-geral do PCP aproveitou o final de uma declaração em vídeo transmitida esta segunda-feira para pedir que, «num tempo de ruas e avenidas quase vazias», os portugueses comemorem o 25 de Abril a cantar a "Grândola, Vila Morena"» às janelas de suas casas.

No Parlamento, as celebrações deverão realizar-se em formato reduzido. A maioria dos partidos é favorável à habitual comemoração do Dia da Liberdade, ainda que com regras diferentes do habitual.

Tópico