Fortaleza de Peniche sai da lista de monumentos a privatizar

A Fortaleza de Peniche será retirada da lista dos 30 edifícios que o Governo quer concessionar a privados.

https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/forte_de_peniche_1.jpg?itok=I0N11Cn-
Foto da exposição «Forte de Peniche – Lugar de Repressão, Resistência e Luta»
Foto da exposição «Forte de Peniche – Lugar de Repressão, Resistência e Luta»Créditos / Viajar entre Viagens

O ministro da Cultura, Luís Castro Mendes, afirmou esta tarde a retirada da Fortaleza de Peniche do programa Revive, que tem como objectivo concessionar monumentos a entidades privadas para o desenvolvimento de unidades de unidades hoteleiras e turísticas. A revelação foi feita no âmbito do debate do Orçamento do Estado para a Cultura em 2017, numa audição ao ministro na Assembleia da República.

O governante explicou que entende que «o que se fizer ali tem que respeitar e perpetuar a memória de luta pela democracia».

No dia 5 de Outubro tinha sido entregue uma petição onde se exigia que a Fortaleza de Peniche se mantivesse como património nacional e saísse da lista do programa Revive. Em poucos dias, atingiram-se 5000 assinaturas, e depois da entrega continuou-se a recolher subscrições. Entre os subscritores desta petição, juntaram-se nomes de vários quadrantes político-ideológicos e das mais diversas áreas da vida social, política e cultural nacional.

«Os abaixo assinados democratas antifascistas, surpreendidos com as recentes notícias sobre a concessão do Forte de Peniche, empenhados na defesa da necessária preservação da memória e resistência ao fascismo e pelo respeito de milhares de portugueses que deram o melhor das suas vidas para que o povo português pudesse viver em liberdade, apelam ao Governo para que o Forte de Peniche permaneça património nacional, símbolo da repressão fascista e da luta pela liberdade», declarava o texto da petição.

0 Comentários

no artigo "Fortaleza de Peniche sai da lista de monumentos a privatizar