|estudantes

Fartos de almoçar na rua, estudantes da António Arroio desfilam em Lisboa

Os estudantes da Escola Secundária António Arroio, há oito anos sem refeitório e há seis com as obras na escola suspensas, foram até à Assembleia da República em protesto.

Concentração dos estudantes da Escola Secundário António Arroio junto à Assembleia da República, em Lisboa, em protesto pela falta de condições na sua escola, cujas obras estão suspensas há seis anos. 30 de Novembro de 2018
Concentração dos estudantes da Escola Secundário António Arroio junto à Assembleia da República, em Lisboa, em protesto pela falta de condições na sua escola, cujas obras estão suspensas há seis anos. 30 de Novembro de 2018Créditos

Mais de 300 estudantes da Escola Secundária António Arroio concentraram-se hoje em frente à Assembleia da República em protesto contra a degradação do estabelecimento de ensino, que se encontra sem condições e com obras suspensas há seis anos.

Para demonstrar a falta de condições da escola, os alunos almoçaram sentados no chão, em frente à escadaria principal do Parlamento. Este é, aliás, um cenário habitual junto à António Arroio, já que desde o início da intervenção, há oito anos, que a escola não tem refeitório e muitos estudantes comem sentados em frente à entrada.

Na escola existem apenas sete micro-ondas para cerca de 1300 estudantes, que, muitas vezes, nem aquecem o almoço que levam de casa porque «as filas são de 40 minutos» para usar os micro-ondas, quando têm uma hora de almoço, contaram os alunos.

Ao longo dos últimos anos têm-se repetido as acções de protesto dos estudantes da António Arroio, nomeadamente aquando da visita do ex-Presidente da República Cavaco Silva ou do ex-primeiro-ministro José Sócrates.


Com Agência Lusa

Tópico