|propinas

Estudantes do Porto contra aumento das propinas de mestrado

A manifestação desta tarde deu expressão ao descontentamento dos estudantes face à «subida significativa», e sem aviso, das propinas dos mestrados da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.

Créditos / abrilabril

Estudantes da Invicta protestaram esta tarde, na Praça dos Leões, em frente à Reitoria da Universidade do Porto contra o aumento do valor das propinas de mestrado na Faculdade de Ciências.

«Ao arrepio do contexto pandémico» e da crise económica por ele criada, o Reitor da Universidade do Porto «entendeu como oportuno o próximo ano lectivo para aprovar o aumento, entre 50 a 375 euros, do valor da anuidade dos mestrados desta instituição», pode ler-se na carta enviada por um grupo de estudantes à direcção da universidade.

No documento refere-se que a subida aplica-se, igualmente, aos alunos internacionais e da CPLP que viram as suas propinas de mestrado aumentadas até 1687,50 e 1312,50 euros anuais, respectivamente, atingindo os valores anuais de 4687,50 euros e 2812,50 euros.

Os estudantes exprimem também a sua preocupação com o valor das bolsas de estudo que, para muitos alunos, «não é suficiente para cobrir o valor solicitado».

Durante este período de «especial fragilidade e vulnerabilidade económica das famílias», os estudantes não compreendem por que razão tem aumentado o valor das propinas dos mestrados, ao mesmo tempo que tem diminuído o das licenciaturas.

A decisão de aumentar uma anuidade previamente contratualizada com os estudantes, já a meio do ciclo de estudos, é entendida como «altamente reprovável» pelos promotores deste protesto.

Recorde-se que, na passada sexta-feira, foram chumbadas propostas que defendiam a eliminação das propinas em todos os ciclos do Ensino Superior.

Tópico