|Aeroporto do Montijo

Engenheiros dão cartão vermelho ao Montijo

Bastonários dos engenheiros defendem «solução duradoura» em Alcochete e consideram a opção de um novo aeroporto no Montijo «um remendo».

Créditos / 24.Sapo

O actual bastonário da Ordem dos Engenheiros, Carlos Mineiro Aires, e o seu antecessor, Carlos Matias Ramos, defendem o Campo de Tiro de Alcochete como uma solução duradoura e económica para a localização do novo aeroporto e consideram a solução do Montijo como um «remendo» que poderá sair caro, afirma a edição de hoje do Dinheiro Vivo.

Carlos Mineiro Alves considera o pedido de uma Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) pelo governo uma «decisão que peca por tardia, uma vez que todo o processo devia ter começado por aí, o que não foi feito por quem o decidiu em 2015». A polémica em torno da localização do novo aeroporto, segundo o bastonário, deve-se à «inesperada opção de ser utilizada a BA6 do Montijo como solução complementar ao aeroporto da Portela, em detrimento da solução prevista inicialmente».

Segundo Mineiro Alves, a solução aprovada em 2009, durante o governo de José Sócrates, da construção de um novo aeroporto internacional em Alcochete, foi alvo de uma Avaliação de Impacto Ambiental (AIA) que validou a opção, mas que «caducou em Dezembro passado, o que obrigará a retomar todo o processo».

O bastonário recordou que «a utilização da BA6 nunca esteve prevista aquando da concessão dos aeroportos nacionais à Vinci». O contrato com a empresa foi alterado pelo governo do PSD/CDS de Passos Coelho em 2015, «situação que o actual governo herdou e que tem de gerir», acrescenta.

Carlos Matias Ramos, antigo presidente do LNEC e ex-bastonário da Ordem dos Engenheiros, partilha da mesma ideia e defende que a construção de uma infra-estrutura de raiz em Alcochete «é uma solução muito mais favorável que o Montijo», que considera ser «uma solução de remendo sem qualquer futuro». Tendo liderado os trabalhos do AIA caducado em Dezembro, Matias Ramos defende o parecer dado à localização de um novo aeroporto em Alcochete, que se apoiou, afirma, em «sete factores críticos para a decisão», desde o espaço aéreo, passando pelos aspectos técnicos, financeiros e ambientais.

Tópico