|Banca

Custos na Caixa e Novo Banco sobem em Maio

As instituições bancárias anunciaram não só o aumento dos custos com comissões, como também o fim de isenções na manutenção de contas.

Apesar dos lucros que registam, o objectivo dos banqueiros é cobrar mais aos utilizadores dos serviços
Apesar dos lucros que registam, o objectivo dos banqueiros é cobrar mais aos utilizadores dos serviçosCréditos / Jornal de Negócios

De acordo com os preçários publicados nas suas páginas de internet, tanto a Caixa Geral de Depósitos (CGD) como o Novo Banco vão proceder a diversos aumentos já a partir de 1 de Maio.

O banco público decidiu diminuir o rendimento das contas CaixaPoupança Reformado, CaixaPoupança, CaixaPoupança Emigrante e CaixaProjecto de 0,015% para 0,005% a partir dos 250 euros. Ao mesmo tempo que outros produtos passam a ficar suspensos, como acontece com as contas Poupança Caixa Activa, CaixaProjecto Emigrante, CaixaPoupança Rumos e CaixaPoupança Superior.

No que concerne a cartões de débito, na CGD, o custo da sua disponibilização passa dos 18 para os 19 euros para os cartões Caixa Maiores Acompanhados, Caixa IU, Caixa Débito, Caixautomática Electron, Caixautomática Maestro, Maestro RE, Caixa Activa, Débito Nacional, Caixa Azul e Visa Electron RE.

Também o levantamento de dinheiro ao balcão com caderneta volta a aumentar na Caixa, com a cobrança de uma comissão única de 5,15 euros, numa subida de mais de dois euros (actualmente o custo é de 3,12 euros). Para além disso, também as transferências online efectuadas para outros bancos, assim como as internacionais, sobem de 80 para 99 cêntimos.

No caso do Novo Banco, passa a ser cobrada uma anuidade de 12 euros nas contas Depósito à Ordem Normal que registem saldos superiores a 35 mil euros, e para os saldos inferiores a esse valor haverá uma taxa única de 62,3 euros.

As despesas sobem para 2,95 euros ou 5,90 euros mensais, acrescidos de imposto do selo, no caso das contas NB 100%, NB Seleção, NB 100% 55+, NB 100% 18.31, Conta Vencimento Empresa e Empresa.

Também no caso das contas NB 360, 100% GOLD, 360 Médico, 360 TOC, 360 Academia, e NB 100% GOLD RE se verificam aumentos de 7,5 euros para 7,9 euros (sem bonificação) e de 3,75 euros para 3,95 euros (com bonificação).

No caso dos preços dos cartões, a substituição dos cartões de crédito NB Verde, NB Branco e outros da gama Classic passam de 20 para 22,5 euros. A disponibilização na hora dos cartões de débito passa de dez para 17 euros, os cartões NB DÉBITO e NB @WORK de 19,5 para 20 euros, e o POCKET NB de dez euros para 12,5 euros.

No caso do preço da requisição de cheques cruzados ao balcão, a instituição aumenta 1,5 euros para cinco cheques, três euros para dez cheques e seis euros para 20 cheques, sendo que também sobem os gastos com os cheques não cruzados.

Tanto a Caixa como o Novo Banco podem estar a ajustar as suas tabelas para não perderem receitas com as medidas que entraram em vigor no início deste ano, que determinam que a maioria das transferências bancárias realizadas por MBWay são gratuitas.

Com agência Lusa

Tópico