|Banca

BPI continua a despedir e fechar balcões

O BPI vai fechar mais dois balcões no final deste mês, um no Porto e outro em Lisboa, à semelhança do que já tinha feito em Março, segundo informação interna a que a Lusa teve acesso.

https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/6312.jpg?itok=Myn2cIwg
Pablo Forero, presidente da comissão executiva do BPI, em conferência de imprensa de divulgação dos resultados anuais de 2017, realizada na sede daquele banco, em Lisboa. 30 de Janeiro de 2018
Pablo Forero, presidente da comissão executiva do BPI, em conferência de imprensa de divulgação dos resultados anuais de 2017, realizada na sede daquele banco, em Lisboa. 30 de Janeiro de 2018CréditosManuel de Almeida / Agência LUSA

Em 27 de Abril irão fechar os balcões da Praça da Galiza, no Porto, e o balcão do Paço do Lumiar, em Lisboa. A domiciliação das contas dos clientes passará para outros balcões, nomeadamente para as agências da Boavista – Júlio Dinis e do Lumiar.

Já em final de Março, a instituição tinha encerrado dois balcões, no caso o balcão na Rua Infante D. Henrique, no Porto, e o balcão de Chelas, em Lisboa.

O BPI vem reduzindo o número de balcões há vários anos, um processo que desacelerou mais recentemente, mas que não estancou.

No final de 2017, o banco tinha 431 balcões em Portugal, menos 14 do que os 445 de 2016. Quanto a trabalhadores, saíram no ano passado 594, tendo o banco, que pertence ao grupo espanhol CaixaBank, 4931 funcionários em Portugal em Dezembro passado.


Com Agência Lusa

Tópico