|Educação

São «urgentes» obras na Escola Básica de Camarate

O estabelecimento de ensino foi hoje encerrado em protesto pela comunidade escolar, que reivindica o cumprimento das promessas de 2009 do Governo, para a construção de um novo pavilhão.

A Escola Básica de Camarate - Mário Sá Carneiro foi esta terça-feira encerrada a cadeado numa acção de luta contra a falta de condições do estabelecimento.

O protesto juntou encarregados de educação, estudantes, pessoal docente e não docente, e contou com a presença solidária do presidente da Câmara Municipal de Loures, Bernardino Soares, assim como do vereador com o pelouro da educação, Gonçalo Caroço.

Recorde-se que o edifício deste estabelecimento de ensino foi construído há mais de 40 anos e encontra-se, neste momento, em avançado estado geral de degradação. A comunidade escolar critica que não haja qualquer resposta ou intervenção por parte do Ministério da Educação.

Para mais, o Governo nunca concretizou a intenção anunciada em 2010, de construir um pavilhão definitivo em substituição dos dois pavilhões pré-fabricados em madeira (instalações provisórias há quase 40 anos) que não reunem condições de segurança, constituindo um perigo eminente.

Também a CDU, em comunicado, aponta que «há largos anos tem chamado a atenção para esta situação sem que tenha havido qualquer resposta» por parte da tutela.

E faz notar que, até agora, não teve qualquer resposta ao facto de a autarquia ter sugerido a demolição daquelas estruturas, se «o Ministério os substituísse por instalações provisórias, assumindo a Câmara a obra desde que o Ministério assuma o seu financiamento».

Tópico