Mensagem de erro

|Saúde

Protesto no Hospital do Litoral Alentejano por melhores condições

Mais de uma centena de utentes, enfermeiros e autarcas do Litoral Alentejano participaram numa concentração, em Santiago do Cacém, por mais profissionais de Saúde e obras urgentes no hospital local.

O protesto foi convocado pela Coordenadora das Comissões de Utentes do Litoral Alentejano, pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (CGTP-IN) e pela União Local de Sindicatos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e Sines
O protesto foi convocado pela Coordenadora das Comissões de Utentes do Litoral Alentejano, pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (CGTP-IN) e pela União Local de Sindicatos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e SinesCréditos / Coordenadora das Comissões de Utentes do Litoral Alentejano

A acção, que decorreu ontem junto ao Hospital do Litoral Alentejano (HLA), contou com a intervenção de representantes de comissões de utentes, das autarquias, do movimento sindical e da deputada Paula Santos, do PCP.

Na moção aprovada, exige-se a contratação «imediata e com vínculo efectivo» de profissionais de Saúde e assistentes operacionais em falta, e a conclusão «urgente» das obras no serviço de urgência do hospital e de construção das extensões de Saúde em Alvalade (Santiago do Cacém) e no Torrão (Alcácer do Sal).

Após a concentração, o conselho de administração do HLA recusou-se a receber uma delegação de manifestantes que foram entregar a moção aprovada sem que tivesse sido dada qualquer explicação, informam as comissões de utentes do Litoral Alentejano em comunicado.

Tópico