|Póvoa de Varzim

Protecção de golfe gera atentado ambiental na Praia da Estela

Os sacos de plástico colocados há mais de três anos pela empresa Estela Golf para conter a subida do mar e evitar a derrocada do luxuoso campo espalharam-se ao longo de dois quilómetros de areal. 

O proprietário admite que a estratégia de contenção, através da instalação de centenas de sacos de areia integrados numa estrutura de madeira, terá sido sido sugerida pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), rejeitando assumir responsabilidades pela destruição que o mar provoca nas instalações de protecção de duna, bem como pela reparação das mesmas.  

Perante a informação, o PCP já anunciou que vai questionar a APA a fim de confirmar quem autorizou a instalação e alertar para que estas estratégias de contenção da subida do mar não voltem a ser utilizadas, de modo a evitar novos atentados à fauna e flora marinhas.

As diligências vão estender-se à Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, uma vez que, no âmbito do processo de descentralização de competências, assume a responsabilidade da limpeza das praias, para que fiscalize o trabalho de remoção do lixo, realizado pela empresa de golfe.

Entretanto, a APA já veio assumir que, para além de constituir um foco de poluição, os sacos que rebentaram na Praia da Estela podem constituir uma ameaça à navegação local, e esclareceu que a manutenção da infra-estrutura de protecção «é da responsabilidade da empresa» que promoveu a sua execução.

Tópico