|água

População de Portalegre quer gestão da água de volta aos municípios

A Plataforma de Defesa da Gestão Pública da Água no distrito de Portalegre realizou uma acção, esta terça-feira, onde foi dada voz ao descontentamento e aprovada uma moção a exigir a gestão municipal.  

Créditos / Movimento Sempre os Mesmos a Pagar

Constituída pela Associação Água Pública, pelo Movimento Sempre os Mesmos a Pagar e por várias comissões de utentes do distrito de Portalegre, nomeadamente de Fronteira, Ponte de Sor e Sousel, a par de outras entidades, a Plataforma defende que, em cada concelho, a gestão deste bem público deve ser assegurada pelo respectivo município. 

Na iniciativa realizada ontem, em frente à sede da empresa Águas do Alto Alentejo, em Ponte de Sor, vários utentes manifestaram o seu descontentamento, «principalmente em relação à degradação das condições do serviço prestado e aos aumentos obscenos nas facturas da água e saneamento», lê-se num comunicado enviado ao AbrilAbril pelos promotores.

A redução imediata dos custos das taxas, serviços e das tarifas por metro cúbico de água e saneamento é outra reivindicação presente no abaixo-assinado que segue agora para a fase de recolha de assinaturas. Isto porque, lê-se na moção, «decorridos poucos meses desde o início do funcionamento da nova Empresa Intermunicipal de Águas do Alto Alentejo», as pessoas já sentem o «brutal aumento» dos preços da água.

A esta denúncia somam-se consequências ambientais, como o desperdício de água resultante de roturas «que se mantêm durante muito mais tempo sem serem reparadas», mas também laborais, «com trabalhadores a serem transferidos para a nova empresa com perda de direitos».

Tópico