|Lisboa

PEV questiona Governo sobre cirurgias adiadas no Estefânia

A falta de material já levou ao adiamento de, pelo menos, sete cirurgias no Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, denuncia o Partido Ecologista «Os Verdes». Entre os doentes está uma criança de quatro anos.

Unidade de referência em Pediatria, o Hospital Dona Estefânia está em risco de se tornar um centro de saúde
Créditos / saúde online

Segundo informações que chegaram ao Grupo Parlamentar d'«Os Verdes», «houve cirurgias adiadas no Hospital de Dona Estefânia, alegadamente por falta de material», lê-se na pergunta enviada ao Governo.

De acordo com o texto a que o AbrilAbril teve acesso, «no relato são referidas pelo menos sete cirurgias adiadas», uma das quais de «uma criança com quatro anos que está a ser acompanhada em Cirurgia Pediátrica – Urologia, com um diagnóstico de Cálculo Renal Coraliforme, apresentando grande perda hemática na urina, cuja cirurgia não pôde ser realizada por falta de material, nomeadamente de Laser para Cálculos Renais».

No documento entregue na Assembleia da República pela deputada Mariana Silva, os ambientalistas questionam se o Executivo «tem conhecimento desta situação de adiamento de cirurgias» no serviço de urologia daquele hospital, e qual a «razão para se ter chegado a esta situação».

Pergunta ainda sobre quantas cirurgias foram adiadas e «em que áreas clínicas», e que «medidas está o Governo a tomar» no sentido de resolver esta situação, assim como um prazo para a solucionar.

O Hospital de Dona Estefânia integra o Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, EPE (CHULC), sendo uma unidade de referência em Pediatria para a zona Sul do País e ilhas, tendo inclusivamente acreditação internacional.

Tópico