|Câmara Municipal do Seixal

Estacionamento da Fertagus e Transtejo na alçada do Município aliviaria utentes

A Câmara Municipal do Seixal é unânime quanto à necessidade urgente de assumir a gestão dos parques de estacionamento da Fertagus e da Transtejo devido aos «preços exagerados» cobrados aos utentes.

A tomada de posição «Pela entrega dos estacionamentos da Fertagus e da Transtejo ao município» foi subscrita por unanimidade na reunião de Câmara, esta quarta-feira. Em causa, lê-se numa nota da autarquia, está a insatisfação dos utentes devido aos «preços exagerados» que se praticam nos parques de estacionamento destes operadores, com transtornos tanto para os que buscam alternativas às tarifas elevadas, como para os moradores e «actividades das zonas afectadas por este elevado nível de estacionamento».

No entender da Câmara Municipal do Seixal, «há um nítido desperdício» dos lugares de estacionamento disponibilizados nestes parques, agravado pela crescente procura destes transportes públicos, na sequência da introdução dos novos passes em toda a Área Metropolitana de Lisboa.

Apesar de ter encetado conversações com a Transtejo, a fim de estabelecer uma parceria com vista à fixação das condições de gestão e funcionamento do parque de estacionamento do Terminal Fluvial do Seixal, a serem asseguradas pelo Município, denuncia que a operadora respondeu com a actual concessão à empresa Empark. 

Na tomada de posição lê-se que foi com surpresa que a autarquia recebeu esta posição da Transtejo, criticando que, ao invés de se privilegiar a função de serviço público às populações, «a empresa e a respectiva tutela priorizam uma lógica financeira economicista», da qual tem resultado a «degradação do serviço prestado» e o «aumento significativo» das tarifas.

No documento exorta-se à intervenção do ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, reiterando a «necessidade urgente» de o Município do Seixal assumir a gestão do parque de estacionamento do Terminal Fluvial do Seixal, concessionado à Transtejo, exigindo tratamento idêntico ao adoptado para o Cais do Seixalinho, no Montijo. Reivindica-se igualmente a gestão das estações do Fogueteiro, Foros de Amora e Corroios, concessionados à Fertagus, visando a utilização gratuita para os utentes destes transportes públicos.

Tópico