|Câmara Municipal de Lagos

CDU denuncia «inaceitável» atraso na transferência do posto da GNR de Lagos

Dez anos depois, avista-se uma solução para o Posto Territorial de Lagos da GNR. CDU considera que as demoras burocráticas atrasaram «investimentos imprescindíveis».

Créditos / Região Sul

O edifício, propriedade da Câmara Municipal de Lagos (CML), foi tido como desadequado em 2012, tanto por não dar resposta às necessidades dos militares da GNR, como por insuficiências no cumprimento das funções que lhe compete. As instalações encontram-se «degradadas e desajustadas face às necessidades do serviço», explica a coordenadora da CDU de Lagos, em comunicado enviado ao AbrilAbril.

A verdade é que, apesar de o governo do PSD e do CDS-PP o ter considerado impróprio, logo em 2012, nada fez para resolver a situação, dando o mote a um período de dez anos em que muito se falou e nada se fez. Em Abril de 2015 é, finalmente, celebrado um protocolo com a CML para a transferência deste posto para as novas instalações da GNR no Chinicato, na freguesia de São Sebastião.

A partir deste momento é apresentado um pretexto anual para nada se fazer, ou porque o projecto ainda não estava concretizado (2016), porque faltava assinar um contrato (2017 e 2018), que só agora se apresentava o concurso público (2019), que houve necessidade de prorrogar as obras (2020).

«Se a GNR não mudou ainda para instalações condignas em Lagos, não foi por falta de denúncia e de intervenção do PCP na Assembleia da República e da CDU nos órgãos autárquicos do Município de Lagos sobre a necessidade de dotar a GNR de novas instalações», lê-se no documento.

A coligação PCP-PEV considera que é preciso «dar resposta a uma necessidade objectiva de melhorar as condições de trabalho dos profissionais da GNR em Lagos e o importante serviço público que estes prestam».

O Posto Territorial de Lagos da GNR está instalado desde 1910 no antigo Convento da Senhora da Glória, cuja actual disposição foi inaugurada em 1560. Em Julho de 2020, a CML anunciou, através de comunicado, que a remodelação das novas instalações teria o prazo de 210 dias, com um custo de 375 mil euros, não explicando o porquê de não se ter concretizado a obra adjudicada.

Tópico