|Brasil

Território com mais indígenas isolados no Brasil pede ajuda contra o coronavírus

Numa nota, povos do Vale do Javari, uma das reservas com mais indígenas isolados do mundo, prevêem um «horizonte sombrio» caso o governo de Bolsonaro não tome medidas para os proteger da pandemia.

A Terra Indígena Vale do Javari, junto à fronteira com Peru, é a segunda maior do Brasil, com 8,5 milhões de hectares
A Terra Indígena Vale do Javari, junto à fronteira com Peru, é a segunda maior do Brasil, com 8,5 milhões de hectares Créditos / Instituto Socioambiental

A União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) divulgou um comunicado em que antevê um «horizonte sombrio» para as comunidades que vivem na Terra Indígena Vale do Javari – uma das reservas com mais índios isolados no mundo, localizada no estado brasileiro do Amazonas.

No documento, intitulado «Nota à sociedade sobre a frágil situação dos povos indígenas do Vale do Javari diante da pandemia de Covid-19», a Univaja tece críticas a órgãos federais que deveriam representá-los.

Apesar de «todas essas possibilidades de um horizonte sombrio para os povos indígenas do Vale do Javari, o que temos visto, na prática, são tomadas de providências tímidas por parte da Funai (Fundação Nacional do Índio), da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) e dos demais poderes públicos locais», critica a União, solicitando medidas ao governo federal brasileiro.

Aquilo que os povos vêem no terreno, em termos de medidas, resulta «mais da iniciativa» dos funcionários dos órgãos referidos do que de «uma política institucional coordenada pelos órgãos competentes a nível municipal, estadual e federal». Algo que, no entender dos indígenas, é «totalmente incoerente com as adversidades que podem atingir» a região e que já mostraram «ser fatais quando não há nenhum planeamento sério», afirmam, citados pelo Brasil de Fato.

De acordo com os indígenas que vivem nesta área, uma enfermeira do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) de Solimões, município da região onde fica a Terra Indígena Vale do Javari, foi testada e deu positivo, ou seja, está infectada com o coronavírus. No entanto, afirmam, não teve contacto com os povos isolados.

Impedir a propagação do vírus

No documento, os indígenas defendem que as «condições são favoráveis» para impedir a disseminação do vírus pelas aldeias, uma vez que todas as entradas do território indígena são feitas pelos rios, onde, «na maior parte dos casos, existe uma base da Funai». Isto é, as pessoas que tentam aceder à Terra Indígena poderiam ser submetidas a um controlo.

Temendo a contaminação, a Univaja fez diversas exigências ao governo federal, sendo uma delas respeitante à presença de forças policiais, militares e da Funai nos rios que servem de entrada ao seu território, de modo a garantir a «retirada de todos os invasores».

Localizada no estado do Amazonas, junto à fronteira com o Peru, a Terra Indígena Vale do Javari tem uma extensão de 8,5 milhões de hectares e possui a maior densidade de povos isolados no mundo.

Das 28 comunidades indígenas isoladas cuja existência foi confirmada pela Funai, pelo menos uma dezena vive ali.

A Terra Indígena Vale do Javari é o segundo maior território indígena demarcado do Brasil, depois do território Yanomami, localizado nos estados de Roraima e do Amazonas, junto à fronteira com a Venezuela e tendo uma extensão de 9,6 milhões de hectares.

Tópico