|Uruguai

Segunda volta no Uruguai decisiva para a região

De acordo com os dados conhecidos, a Frente Ampla lidera a eleição no Senado e na Câmara dos Deputados. A vitória na segunda volta dependerá do reagrupamento das forças à direita.

Daniel Martinez, num comício da Frente Ampla
Daniel Martinez, num comício da Frente Ampla Créditos / twitter

A Frente Ampla do Uruguai, com Daniel Martínez, reafirmou-se este domingo como a força política mais votada do país, com 39% dos votos, de acordo com as projecções fornecidas pelo Cifra Pollster.

A entidade autorizada confirmou que a coligação dominante terá que ir a uma segunda volta presidencial devido à pequena diferença em relação ao Partido Nacional de Luis Lacalle Pou, que somou 29%, relata a Prensa Latina.

No contexto de grande complexidade na América Latina, resultante das agressões do imperialismo aos processos de desenvolvimento soberano e assentes numa maior justiça social e económica, a permanência da Frente Ampla no governo do país é fundamental para o reagrupamento das forças progressistas na região.

Os trabalhadores e as populações que se têm manifestado nas ruas no Chile, Equador e Peru; que reelegeram Evo Morales na Bolívia, que venceram na Argentina com a eleição de Alberto Fernández; e que resistem na Venezuela, aguardam agora por este importante desfecho.

Tópico