Mais um caso de violência policial

Protestos nos EUA depois de a Polícia matar um afro-americano

Manifestantes bloquearam uma auto-estrada e entraram em confronto, esta quarta-feira, com a Polícia em Charlotte, no estado da Carolina do Norte (EUA), depois de agentes terem morto a tiro um homem negro.

Protestos em Charlotte, na Carolina do Norte, na sequência da morte de Keith Lamont Scott por agentes policiais
Protestos em Charlotte, na Carolina do Norte, na sequência da morte de Keith Lamont Scott por agentes policiaisCréditosTeleSur

Cerca de uma dezena de polícias e vários manifestantes sofreram ferimentos ligeiros na sequência das manifestações de protesto que tiveram lugar ontem à noite e na madrugada e manhã de hoje, perto do local onde Keith Lamont Scott, de 43 anos, foi morto a tiro pela Polícia, ontem à tarde, informa a agência Reuters com base em fontes policiais e na comunicação social local.

Lamont Scott encontrava-se junto ao seu carro, num parque de estacionamento de um complexo de apartamentos, quando a Polícia se aproximou e o matou. De acordo com a versão do Departamento da Polícia de Charlotte-Mecklenburg, os agentes procuravam «um suspeito» e terão visto Scott sair da sua viatura com uma arma de fogo na mão. «Os agentes dispararam porque ele representava uma ameaça mortal iminente», lê-se num comunicado emitido pelo departamento.

Esta versão é negada por manifestantes, testemunhas e familiares da vítima. Estes últimos disseram à imprensa que Keith Lamont Scott tinha um livro na mão e estava à espera que um dos seus filhos chegasse da escola. Shakeala Baker, que vive num complexo de apartamentos contíguo, disse que já tinha visto Scott naquele parque, noutras tardes, à espera do filho, informa a Reuters.

Esta morte ocorre no meio de um intenso debate, a nível nacional, sobre o uso da força pela Polícia, com consequências mortais, sobretudo contra afro-americanos. Por outro lado, a Polícia não esclareceu se Scott era o suspeito que procurava no complexo de apartamentos. Mas uma estação de TV local informou que não.

Protesto em Tulsa

Ontem à noite, cerca de 200 pessoas participaram numa concentração de protesto em Tulsa, no estado norte-americano de Oklahoma, depois de, na semana passada, um agente ter morto um afro-americano desarmado. O incidente ficou registado nos vídeos da Polícia.

Os advogados da família de Terence Crutcher, de 40 anos, afirmam que ele não representava qualquer perigo para os agentes quando foi morto a tiro.