|Cuba

Novo ano lectivo em Cuba, onde a Educação é um baluarte

A escola José María Heredia, em Havana, foi palco da cerimónia nacional de abertura do ano lectivo, em que estarão envolvidos mais de 10 mil instituições, 160 mil professores e 1 700 000 estudantes.

Em Cuba, as crianças têm os seus direitos garantidos pela Constituição e pelas políticas públicas levadas a efeito
Em Cuba, as crianças têm os seus direitos garantidos pela Constituição e pelas políticas públicas levadas a efeitoCréditos / juventudrebelde.cu

A alegria, a certeza de um novo período lectivo «superior» e o compromisso dos estudantes, professores e trabalhadores marcaram o início do novo ano na escola José María Heredia, no município de Diez de Octubre, em Havana, que acolheu, esta segunda-feira, o acto nacional da abertura.

Na cerimónia, em que estiveram representantes do Partido Comunista de Cuba, o secretário-geral da Central dos Trabalhadores de Cuba, Ulises Guilarte de Nacimiento, e os ministros da Educação, Ena Elsa Velázquez, e Indústria, Alfredo López Valdés, a directora da Educação na província de Havana, Yoania Falcón Suárez, defendeu que o ano lectivo que se inicia deve mostrar avanços nos indicadores que são expressão da qualidade da educação.

Para tal, disse, devem ser feitos mais esforços no sentido de solucionar os problemas não resolvidos. «A educação, na sua máxima expressão, destina-se à formação de melhores seres humanos, de cidadãos com valores éticos e morais», frisou, citada pelo diário Granma.

Falcón agradeceu a todos aqueles que, nos meses de Verão, colaboraram na reparação e manutenção dos estabelecimentos ensino, bem como na elaboração dos uniformes escolares e da confecção do material docente.

Mais de 1 700 000 estudantes

De acordo com os dados divulgados pelo Ministério cubano da Educação (Mined), mais de 1 700 000 estudantes cubanos iniciaram o ano lectivo 2019-2020, um número ligeiramente superior ao do ano anterior.

Ainda segundo o Mined, mais de 160 mil professores estarão a dar aulas. Para a ministra da tutela, o ano lectivo começa «com condições, uma vez que estão garantidos todos os recursos essenciais no país», refere o portal periodico26.cu.

Novos desafios para uma universidade de excelência

O início do ano lectivo «traz perspectivas renovadas» à Universidade de Camagüey, uma instituição de ensino «com notáveis contributos científicos, vitais para a economia do país e o desenvolvimento da sociedade cubana», informa a Prensa Latina.

A maior ilha das Antilhas, que faz da educação um dos seus baluartes, coloca especial ênfase na integração dos cursos pedagógicos no nível de ensino superior. A Universidade de Camagüey, com mais de 15 mil estudantes matriculados, contribui para essa área, dando também prioridade, entre os seus projectos, à questão da informatização.

Considerada uma instituição de excelência, a Universidade de Camagüey, constitui uma referência no âmbito da investigação e exemplo disso são os protocolos recentes firmados com a Universidade de Hebei (China) para liderar a criação de um Instituto de Inteligência Artificial em 2020.

Com 53 cursos e tendo formado mais de 1500 estudantes de diversos países, esta instituição da região central de Cuba é também uma referência ao nível da América Latina, uma vez que celebrou múltiplos convénios de colaboração com países como o México, a República Dominicana e o Peru.

Tópico