|Ucrânia

FMJD lança campanha de solidariedade com presos políticos na Ucrânia

No dia 11 de Novembro, assinalar-se-ão 250 dias desde a detenção dos irmãos Kononovich, membros da Juventude Comunista sequestrados pelas forças ucranianas e expostos «a abusos e à tortura». #FreeKononovich já está nas ruas.

Acção da União das Juventudes Comunistas de Espanha, no âmbito da campanha #FreeKononovich 
Acção da União das Juventudes Comunistas de Espanha, no âmbito da campanha #FreeKononovich Créditos

Mikhail Kononovich, primeiro-secretário da União da Juventude Comunista Leninista da Ucrânia, e o seu irmão, Aleksander, foram detidos pelos Serviços de Segurança da Ucrânia no início do mês de Março. A perseguição destes jovens dirigentes comunistas foi apenas um primeiro passo na supressão dos direitos políticos na Ucrânia, por decisão do governo de Volodymyr Zelensky.

Agora, «após meses de abuso, tortura e violação dos seus direitos cívicos num centro de detenção em Kiev, a pretexto de uma falsa acusação com um claro viés ideológico, a única solução é a sua libertação incondicional e o fim da repressão e perseguição política da oposição», defende a Federação Mundial da Juventude Democrática (FMJD).

A campanha de solidariedade, convocada para a próxima semana, tem como objectivo aumentar a pressão social, «à escala global», pela libertação dos irmãos Kononovich, que pertencem a uma organização que integra a FMJD: a ilegalizada Juventude Comunista Leninista da Ucrânia.

«Apelamos a todos os jovens anti-imperialistas e antifascistas que redobrem os seus esforços e a sua solidariedade» nesta campanha. O apelo, dirigido à juventude, sugere a dinamização de acções nas ruas, pressionando «as instituições e embaixadas ucranianas nos nossos países».

Ainda antes da invasão russa, Mikhail esteve directamente envolvido nas fortes mobilizações populares para impedir a privatização de terrenos agrícolas públicos por parte do governo de Volodymyr Zelensky, que permitiria a sua alienação a grandes grupos económicos estrangeiros.

A Federação Mundial da Juventude Democrática foi fundada em 1945, agregando dezenas de movimentos e organizações antifascistas contra a guerra nuclear e na defesa da paz. A Juventude Comunista Portuguesa (JCP) integra a FMJD, em Portugal.

As acções e declarações de apoio no âmbito desta campanha já estão a ser divulgadas nas redes sociais através do hashtag #FreeKononovich.

Tópico