|Colômbia

FARC alerta para «plano de extermínio» de ex-guerrilheiros na Colômbia

A Força Alternativa Revolucionária do Comum revelou esta quarta-feira que, desde o Acordo de Paz, foram assassinados 140 ex-combatentes e que o número pode aumentar, tendo em conta as ameaças recebidas.

Os dirigentes sociais continuam a ser ameaçados e assassinados na Colômbia
Ex-combatentes farianos e dirigentes sociais continuam a ser ameaçados e assassinados na Colômbia CréditosGustau Nacarino / theobjective.com

Carlos Alberto Lozada, senador e um dos líderes do partido Força Alternativa Revolucionária do Comum (FARC), deslocou-se esta quarta-feira à sede da Procuradoria-Geral da Colômbia, em Bogotá, onde denunciou a existência de um «plano de extermínio» que tem como alvo ex-combatentes das FARC-EP e dirigentes do partido FARC.

Lozada afirmou que o paramilitarismo não só não foi desmantelado pelo governo colombiano, como, pelo contrário, a sua presença aumentou. Criticou, além disso, a montagem de uma cenário, por parte do Estado, em que há «muitos carros blindados e esquemas», mas sem que tal se traduza em qualquer eficácia, indica a TeleSur.

À saída da instituição, Lozada disse aos jornalistas que as autoridades colombianas não estão em condições de garantir a vida dos ex-guerrilheiros farianos, de quem assinou o acordo de paz e faz parte desse processo, tendo ainda lamentado que os militantes do FARC não tenham todas as garantias para poder exercer a sua actividade política, mais ainda num ano de eleições – as municipais e regionais realizam-se a 27 de Outubro.

O dirigente do FARC disse também que entregou à Procuradoria uma «série de mensagens» que «andaram a circular» e que provam a existência de um plano para assassinar os ex-combatentes e dirigentes farianos, esperando que, com esse material, a instituição dê início a um processo de investigação.

«Nesses textos, há nomes muito concretos de dirigentes e, num contexto em que foram assassinados mais de 140 militantes do partido – dois deles na terça-feira –, consideramos que podemos estar a entrar numa nova etapa desta série de assassinatos», sublinhou.

Dois ex-combatentes farianos assassinados no Cauca

A ida do senador do FARC à Procuradoria-Geral da Colômbia ocorreu no dia seguinte aos assassinatos de mais dois ex-guerrilheiros, ambos no departamento do Cauca.

De acordo com o FARC, Luis Carlos Yunda foi morto a tiro, esta terça-feira, numa zona rural do município de Corinto. Horas antes, Weimar Galíndez Daza foi morto no município de El Tambo.

Eram ambos ex-combatentes das FARC-EP desmobilizados e participavam no processo de reintegração na vida civil. Os casos, que estão a ser investigados, puseram o FARC em «estado de alerta máximo», revela o portal Entorno Inteligente.

Tópico