|País Basco

Estivadores do Porto de Bilbau voltam à greve

Os sindicatos da estiva no Porto de Bilbau apresentaram um pré-aviso de greve, no qual elencam diversas reivindicações e denunciam a má-fé das empresas no processo negocial do acordo colectivo.

Os trabalhadores da estiva no Porto de Bilbau anunciaram uma paralisação entre 9 e 25 de Outubro
Os trabalhadores da estiva no Porto de Bilbau anunciaram uma paralisação entre 9 e 25 de Outubro Créditos / gedar.eus

A luta no Porto de Bilbau (Biscaia, País Basco) arrasta-se desde o início do Verão, com os estivadores a acusarem as administrações das várias empresas de os enganarem nas negociações com vista a alcançar um acordo colectivo.

Foi neste contexto que, em Julho, os sindicatos anunciaram 21 dias de greve para o mês seguinte. No entanto, o anúncio de paralisação viria a ser suspenso, em virtude de alguns «avanços nas negociações». Dois meses volvidos, «a situação continua na mesma», pelo que os sindicatos das estiva lançaram novo pré-aviso de greve, de 9 a 25 de Outubro, informa o portal gedar.eus.

O formato da paralisação será de duas horas por turno nos dias 9, 13, 19 e 20 de Outubro, e de 24 horas nos dias restantes, até 25. Não abrangidos pela convocatória ficam os serviços de mercadorias perecíveis e perigosas.

Além de denunciarem a má-fé nas negociações, os trabalhadores referem-se a várias outras questões, como o incumprimento dos horários laborais. Segundo afirmam, os descansos semanais não são respeitados, trabalham mais horas por ano do que o estipulado e estão a realizar turnos mais longos.

O pré-aviso também se refere ao aumento da precariedade e à situação díficil em que se encontram os trabalhadores precários, exigindo que a totalidade dos funcionários que laboram nas empresas de estiva no Porto de Bilbau passem a ter vínculos efectivos.

Outro aspecto denunciado pelos sindicatos diz respeito ao mau estado da maquinaria e das instalações das empresas da estiva, que «colocam em risco a segurança e a saúde dos trabalhadores».

Tópico