|Índia

Comunistas indianos denunciam aliança militar com os EUA

Partidos comunistas da Índia afirmam que os EUA estão a usar o país como peão contra a China e encaram o acordo agora celebrado como uma ameaça à independência e à soberania nacional.

Ministro da Defesa da Índia (centro), ladeado pelo seu colega dos Negócios Estrangeiros (direita) e pelo Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, em Nova Déli, no dia 27 de Outubro
Ministro da Defesa da Índia (centro), ladeado pelo seu colega dos Negócios Estrangeiros (direita) e pelo Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, em Nova Déli, no dia 27 de Outubro Créditos / dailysabah.com

O Partido Comunista da Índia (Marxista-Leninista) Libertação criticou o Acordo Básico de Intercâmbio e Cooperação (BECA, na sigla em inglês) firmado durante o terceiro Diálogo Ministerial 2+2 entre a Índia e os Estados Unidos em matéria de defesa e política externa, que decorreu em Nova Déli na passada terça-feira.

Numa declaração a que a agência Prensa Latina teve acesso, os comunistas referem que este acordo, em conjunto com o Acordo de Compatibilidade de Comunicações e Segurança (Comcasa), assinado em 2018, levanta a suspeita de que os Estados Unidos utilizam a Índia como um peão para encurralar a República Popular China.

É muito evidente – refere o comunicado – a intenção expressa e a atitude agressiva adoptada pelos governos da Índia e dos Estados Unidos, e a natureza do tratado mostra claramente que a Índia se tornará dependente da tecnologia norte-americana.

O Partido Comunista da Índia (Marxista-Leninista) Libertação defende que Nova Déli precisa de desenvolver a sua própria política externa, colocando ênfase nas boas relações com os países vizinhos, e que deve ser independente da influência e intervenção estrangeiras.

Qualquer controvérsia com um país vizinho, como a China, só pode ser resolvida através do diálogo bilateral, e o facto de que a Índia permita que os Estados Unidos a utilize como um peão não augura nada de bom para o próprio interesse do seu povo, refere ainda texto.

«Governo indiano deve negociar com a China ao mais alto nível político e diplomático»

De forma semelhante se manifestaram o Partido Comunista da Índia (Marxista) e o Partido Comunista da Índia, que, numa declaração conjunta ontem emitida, sublinham que a aliança militar com os EUA não é boa para o interesse nacional.

O texto denuncia que o acordo agora celebrado vincula as Forças Armadas da Índia às forças militares norte-americanas e aos seus desígnios estratégicos, acrescentando que a ligação dos sistemas de comunicações e electrónicos da Índia e dos Estados Unidos afectará negativamente a integridade e a tomada de decisões independentes da estrutura de defesa indiana.

Para além disso, o país passará a estar dependente do armamento norte-americano, cuja tecnologia e sistemas serão controlados por Washington, indica o texto, acessível na página do Partido Comunista da Índia (Marxista).

A aliança militar com os Estados Unidos – alertam – terá consequências a longo prazo para a política externa independente e a autonomia estratégica da Índia, e não está de acordo com os interesses nacionais.

O governo indiano deve continuar a negociar com a China ao mais alto nível político e diplomático para resolver a questão da fronteira, defendem os comunistas, sublinhando que, para tal, o país não tem de se subordinar à estratégia geopolítica dos EUA na Ásia.

Tópico