|Brasil

Campanha Fora Bolsonaro anuncia mais de 160 mobilizações no Brasil e no estrangeiro

«Estão confirmados, até o momento, 167 actos em 160 municípios brasileiros e em 14 países» para exigir a destituição de Jair Bolsonaro, revela a campanha sobre a jornada de mobilização de dia 2.

Acção da Campanha Fora Bolsonaro em Brasília (imagem de arquivo) 
Acção da Campanha Fora Bolsonaro em Brasília (imagem de arquivo) Créditos / Rede Brasil Atual

Com o lema «Vacina no braço, Comida no prato e Fora Bolsonaro», os protestos do próximo sábado dão sequência às manifestações iniciadas no dia 29 de Maio e que se têm repetido todos os meses desde então (19 de Junho, 3 de Julho, 24 de julho, 18 de Agosto e 7 de Setembro), contra as ameaças de golpismo, a pobreza, a fome, o desemprego, a desigualdade e a gestão da pandemia no país sul-americano.

Os pouco mais de mil dias do governo de Jair Bolsonaro (cumpridos a 27 de Setembro) serão marcados por esta jornada que servirá, segundo a Rede Brasil Atual, para exigir o impeachment (destituição) do presidente da República.

Em São Paulo, a mobilização em frente ao MASP, na Avenida Paulista, tem dimensão nacional e contará com dirigentes e personalidades de nove partidos políticos da oposição ao governo federal (PDT, PSB, PCdoB, Rede Sustentabilidade, Solidariedade, PT, Cidadania, PV, PSOL, UP, PSTU e PCB).

Desta forma, reforçam as dezenas de organizações populares reunidas em torno das frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, e do movimento estudantil, das centrais sindicais e do movimento negro.

«A participação ampla de diversos partidos e personalidades políticas só comprova o que estamos sentindo cada vez mais nas ruas e nas articulações que estamos fazendo nos últimos meses», afirmou Juliana Donato, da organização do protesto.

Apontou que é cada vez maior o grau de insatisfação com o presidente e que isso se traduz na necessidade imediata de o destituir, na medida em que lidera um governo que destrói «direitos sociais, atenta contra a democracia e o meio ambiente», além de «aumentar o desemprego, a fome, a miséria e a perseguição a comunidades, como indígenas e a população preta», indica a Rede Brasil Atual.

Neste sentido, defendeu que «a voz das ruas precisa de ecoar cada vez mais forte» e «São Paulo, neste dia 2 de Outubro, irá transformar-se na capital nacional da mobilização pelo impeachment de Bolsonaro».

No estrangeiro, foram convocadas manifestações na Alemanha, Argentina, Áustria, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Porto Rico, Portugal, Reino Unido e Suíça.

Tópico