|Síria

Apesar da guerra e das sanções, avança a recuperação da Saúde na Síria

O primeiro-ministro sírio, Imad Khamis, deslocou-se à província costeira de Tartous para inaugurar um hospital pediátrico, que, além da prestação gratuita de cuidados de saúde, terá uma vertente académica.

Instalações do novo hospital pediátrico de Tartous, inaugurado este sábado
Instalações do novo hospital pediátrico de Tartous, inaugurado este sábado Créditos / http://tishreen.news.sy

Localizado cerca de 300 quilómetros a noroeste da capital do país, Damasco, as novas instalações médicas têm uma área total de 6000 metros quadrados. Contam com cem camas e 40 incubadoras, e possuem secções de Urgências, Cuidados Intensivos e Serviço Ambulatório, além de três salas de operações.

O director-geral do hospital pediátrico, Yasser Jouriyeh, afirmou que o custo do projecto rondou os 24 milhões dólares. «Além de prestar cuidados médicos gratuitos, ao nível do diagnóstico, terapia e cirugia, o hospital irá ainda desempenhar um papel na área da docência e da prática médica», explicou Jouriyeh, este sábado, citado pelas agências SANA e Prensa Latina.

Por seu lado, o primeiro-ministro da Síria destacou que a «construção deste tipo de projectos médico-científicos em anos de guerra evindencia a firme vontade do povo sírio de reconstruir o país».

A guerra de agressão terrorista à Síria teve sérios impactos no sector de Saúde, com dezenas de hospitais a ficarem fora de serviço. Nos últimos três anos – à medida que o Exército Árabe Sírio e seus aliados foram impondo derrotas ao terrorismo e libertando cada vez mais território nacional –, o governo de Damasco conseguiu reabilitar e reconstruir centenas de centros de saúde.

Biblioteca de Jerusalém inaugurada em Damasco

A Fundação Internacional de Al-Quds inaugurou na semana passada a Biblioteca de Jerusalém na capital da Síria, tendo como propósito ser uma fonte básica de documentação para qualquer investigador interessado na cidade ou na «causa palestiniana», indica a agência SANA.

A biblioteca inclui mapas, manuscritos, documentos, livros ensaísticos, de poemas e romances, além do arquivo da Fundação Al-Quds, especializado em assuntos palestinianos.

«A inauguração da biblioteca ocorre num momento em que necessitamos de documentação e centros especializados na questão palestiniana», afirmou Bouthaina Shaaban, conselheira política e mediática da Presidência da República, numa nota de imprensa.

Acrescentou que Israel, «o nosso inimigo usurpador, está a falsificar a história», pelo que assume maior importância o enriquecimento da biblioteca, «de modo a que o mundo se aperceba da verdade».

Tópico