|Festa do «Avante!»

Com cerca de 200 espectáculos

«Uma Festa aberta a todos»

Os dias 1, 2 e 3 de Setembro serão marcados, na Atalaia/Amora, concelho do Seixal, por mais uma edição da Festa do Avante!, onde o público poderá usufruir de música, teatro, cinema, poesia, fotografia, artes plásticas, desporto, gastronomia, exposições e debates sobre a actualidade.

40.ª Festa do Avante!, 2016
40.ª Festa do Avante!, 2016Créditos / PCP

Na conferência de imprensa realizada pelo PCP nesta segunda-feira, foi apresentado o programa integral da edição deste ano da Festa do Avante!, marcada para o primeiro fim-de-semana de Setembro, sendo divulgada como «o maior evento político-cultural do nosso país».

Alexandre Araújo, da direcção da Festa do Avante!, sublinha «a dimensão e a diversidade» do evento, com mais de dez palcos e cerca de 200 espectáculos, que estão longe se ficar pela música.

Para além de todo o espectro musical, que é depois aprofundado por Ruben de Carvalho, também dirigente da Festa do Avante! e com um vasto percurso na área da cultura musical, Alexandre Araújo aborda as várias áreas que o evento proporciona ao público, não deixando de lembrar que «pela sua natureza, pelo seu ambiente, é uma Festa dirigida ao povo português e aberta a todos».

Do teatro à ciência, passando pelo cinema e pelo deporto

Serão assinalados no «Avanteatro» os 100 anos de Romeu Correia e os 150 anos de Raul Brandão. Entre outras peças, o espaço dedicado ao teatro contará com O Cravo Espanhol, pelo Teatro da Terra, com encenação de Maria João Luís, e Bonecos de Luz, pela Companhia de Teatro de Almada, com encenação de Rodrigo Francisco, ambas de Romeu Correia; e ainda com Pelos que andam sobre as águas do mar, produzido pela Galateia e com encenação de Miguel Jesus, a partir da obra Os Pescadores de Raul Brandão.

No «CineAvante», as manhãs são dirigidas às crianças com vários filmes de animação exibidos em colaboração com a Monstra – Festival de Animação de Lisboa e uma homenagem ao cinema de animação soviético. Filmes como Outubro, de Serguei Eisenstein, São Jorge, de Marco Martins, Treblinka, de Sérgio Tréfaut, Estilhaços, de Guilherme Santa Rita, ou Eu, Daniel Blake, de Ken Loach, fazem parte da programação.

Desporto na Festa do Avante!, 2016 Créditos

O «Espaço Ciência» é este ano dedicado ao tema «Mar – património e potencialidades» e decorrerá a 20.ª edição da «Bienal de Artes Plásticas», onde, das mais de 220 obras a concurso, foram seleccionadas cerca de 80 que estarão expostas nos três dias da Festa.

O desporto é outra referência deste evento, em que os organizadores esperam ter a participação de milhares de atletas, técnicos e dirigentes, envolvendo centenas de associações e colectividades e mais de 30 modalidades, de que são exemplo o futsal (incluindo infantil), basquetebol e andebol (também adaptados), jogos tradicionais, galas de ginástica, de danças de salão e de artes marciais, boxe, matraquilhos, hóquei em patins, xadrez e desportos radicais.

A Festa do Avante! também oferece várias exposições, com destaque para uma evocativa do centenário da Revolução de Outubro e outra sobre instrumentos populares portugueses, assim como o espaço do livro e do disco. Tem ainda um vasto programa político, com mais de 60 debates e as intervenções de Jerónimo de Sousa na abertura da Festa e no comício de encerramento.

Comício de encerramento. Festa do Avante!, 2016 Créditos

Os espaços das várias regiões do País serão marcados pela gastronomia portuguesa, assim como por produtos e artesanato regionais, tal como o «Espaço Internacional» permitirá o contacto com a cultura de vários países.

Para além do «Espaço Criança» e dos equipamentos de diversão, serão dinamizadas várias actividades lúdicas, desportivas, pedagógicas, assim como espectáculos dirigidos aos mais novos. Destacam-se os concertos no Auditório 1.º de Maio – no sábado do projecto Mão Verde e no domingo dos Clã - Disco Voador.

Festa: uma incontornável celebração da música

Quando aborda o programa musical da Festa do Avante!, Ruben de Carvalho sublinha os pressupostos de «por um lado inovar e por outro lado manter um padrão de respeito cultural por realidades que nos parecerem importantes defender e valorizar novas presenças no panorama no português».

É destacado um elemento diferenciador deste evento: o concerto de música erudita de sexta-feira à noite, no Palco 25 de Abril, que este ano comemora o centenário da Revolução de Outubro e terá como protagonistas a Orquestra Sinfonietta de Lisboa e o Coro Sinfónico Lisboa Cantat. Composto por três andamentos, o concerto passará por música anterior à Revolução Russa, por melodias reservadas aos dez dias que marcaram o processo da revolução e pela homenagem à vitória do povo russo. O espectáculo será ladeado por excertos das produções dos cineastas Eisenstein e Dziga Vertov, acompanhado ao piano por Mário Laginha.

Concerto de sexta-feira. Festa do Avante!, 2016 Créditos

O Auditório 1.º de Maio será marcado na sexta-feira por um espectáculo dedicado à música luso-africana, com vozes e ritmos de vários países deste continente.

Ruben de Carvalho destaca alguns dos artistas. Rui Veloso, que já há muito tempo não fazia parte do programa, João Gil com convidados, que celebra 40 anos de canções, ou João Afonso, que apresenta um espectáculo comemorativo de duas décadas de música.

Sublinha-se ainda a presença do rock dos Mão Morta, uma estreia na Festa do Avante!, de António Zambujo, com actual projecção no âmbito da música popular portuguesa, ou de Paulo de Carvalho, com décadas de contributo à música nacional. São também referenciadas as novas presenças do rapper Regula, do projecto Língua Franca ou dos Margem Soul, banda do Seixal vinda do Palco Novos Valores e que passa a actuar no maior palco da Festa.

O programa musical também se faz de artistas estrangeiros, como as bandas vindas de Espanha – Boikot e Amparanoia –, os italianos Modena City Ramblers, os chilenos Newen Afrobeat, os Dervish da Irlanda ou Xabier Diaz & Adufeiras do Salitre da Galiza.

Concerto na Festa do Avante!, 2016 Créditos

O jazz estará também presente com nomes como Carlos Bica-Trio Azul ou João Barradas Home, e o fado continua a ser obrigatório no evento, este ano com nomes como Helder Moutinho, Gisela João ou Tânia Oleiro. Destaca-se ainda o Palco Arraial, que apresenta etnografia de todo o País, e o Palco Novos Valores, na «Cidade da Juventude», que ao longo de 20 anos mostra a nova música feita em Portugal.

O extenso programa e as principais informações sobre o evento podem ser consultados na página oficial da Festa e na página do facebook. A EP – Entrada Permanente, que dá acesso aos três dias, pode ser adquirida nos Centros de Trabalho do PCP, na Ticketline e nos locais habituais, sendo que até dia 1 de Setembro tem um custo de 23 euros, e durante os dias do evento será de 35 euros.

Tópico