|poesia

Trinta crianças e jovens cantam Manuel António Pina

O Teatro do Frio e o Coro Lira estreiam esta sexta-feira, no Teatro Carlos Alberto (TeCA), no Porto, o espectáculo Coisas que Não Há que Há, com base na poesia de Manuel António Pina. 

Pormenor do cartaz do espectáculo «Coisas que Não Há que Há»
Pormenor do cartaz do espectáculo «Coisas que Não Há que Há»Créditos / Teatro do Frio

Segundo explica o Teatro do Frio num comunicado, o espectáculo Coisas que Não Há que Há é fruto de uma investigação que cruza poesia e escrita cénica, voz cantada e voz falada, «aprofundando o carácter lúdico, interrogativo e onírico da poesia de Manuel António Pina».

O Teatro do Frio e o Coro Lira inspiraram-se em dez poemas do autor. A partir daí, convidaram igual número de compositores contemporâneos a musicarem temas do poeta.

No total, são 34 intérpretes – quatro músicos e um coro de 30 crianças e jovens – que levam ao palco do TeCA palavras e composições musicais originais, «onde a poesia de Pina será falada, tocada e interpretada». 

Com direcção artística de Catarina Lacerda e direcção musical de Raquel Couto, Coisas que Não Há que Há integra poemas como «O Pássaro da Cabeça» ou «O Aviador Interior», e estará em cena hoje, pelas 21h, e amanhã, Dia Mundial da Criança, às 11h e às 16h. 

Ao longo da sua carreira, Manuel António Pina recebeu diversos prémios e distinções, designadamente a Comenda da Ordem do Infante, em Junho de 2005, e o Prémio Camões, em 2011.

Tópico