|FIMFA Lx 19

Lisboa acolhe marionetas de todo o mundo a partir desta quinta-feira

O Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas (FIMFA) regressa a Lisboa com apresentações de mais de 20 companhias e artistas de todo o mundo, para todas as idades.

CréditosAlípio Padilha / São Luiz Teatro Municipal

Segundo a Tarumba – Teatro de Marionetas de Lisboa, que organiza o FIMFA, «os artistas presentes nesta edição questionam o mundo, falam de identidade, liberdade, memória, o que o caracteriza e ameaça, abrem a porta ao sonho e dão vida à imaginação, a partir do universo da marioneta contemporânea».

Até 26 de Maio, haverá, em dez espaços de Lisboa, «marionetas gigantes, corpos que se transformam em paisagens, sombras com mãos, retratos em movimento, documentários em miniatura, dinossauros, pequenas formas, objectos mecânicos e muito mais».

Ao longo de 18 dias haverá apresentações de 22 companhias e artistas de Moçambique, França, Dinamarca, Reino Unido, Espanha, Alemanha, Holanda, Noruega, Finlândia, Irão, EUA e Portugal.

A programação da edição deste ano do FIMFA, «dirigida a todas as idades», decorre no Castelo de São Jorge, no São Luiz Teatro Municipal, no Teatro Nacional D. Maria II, no LU.CA – Teatro Luís de Camões, no Museu de Lisboa – Palácio Pimenta, no Teatro da Trindade, no Teatro do Bairro, no Teatro Taborda, no Museu Nacional do Teatro e da Dança e na Cinemateca Portuguesa.

Este ano, a abertura acontece no Castelo de São Jorge com o Laitrum Teatre, que condensa cinco obras distintas de Shakespeare, em peças de oito minutos, para cinco teatros em miniatura.

Ainda para a abertura, a organização destaca o espectáculo O Bazar e as suas..., das Marionetas Gigantes de Moçambique, um desfile de rua que aborda o quotidiano da vida nos mercados, as dificuldades do dia-a-dia e os problemas da sociedade actual, que terá apresentações entre os dias 10 e 12 de Maio.

O espectáculo de encerramento acontece no São Luiz, nos dias 25 e 26 de Maio, com Vies de Papier, um teatro documental de objectos, que «nasceu de um achado- um álbum de fotografias – adquirido numa feira da ladra, na Bélgica, e com o objectivo de descobrir quem era a pessoa cuja vida estava contida naquele álbum», adianta a organização.

A programação alarga-se a um conjunto de actividades paralelas, onde se inclui, entre outras, a exibição de Rehearsal for a Sicilian Tragedy, filme no qual o actor John Turturro viaja até à Sicília, onde investiga as tradições culturais em desaparecimento. 

Nesta edição, o festival criou o Prémio de Mérito Cultural Henrique Delgado a fim de reconhecer personalidades, estruturas ou instituições que tenham desenvolvido um trabalho dominante na arte da marioneta.


Com agência Lusa

Tópico