|artes plásticas

Ernesto de Sousa e Túlia Saldanha na Galeria Diferença

Para assinalar «40 ANOS A FAZER DIFERENÇA», a Cooperativa Diferença tem vindo a organizar diversos eventos artísticos. Em Maio são exposições individuais de Ernesto de Sousa e Túlia Saldanha.

A exposição «Keep in Touch», de Ernesto de Sousa (1921-1988), estará até dia 18 de Maio na Galeria Diferença, em Lisboa.
A exposição «Keep in Touch», de Ernesto de Sousa (1921-1988), estará até dia 18 de Maio na Galeria Diferença, em Lisboa. Créditos / Galeria Diferença

A Cooperativa Diferença é um dos projectos colectivos de referência na arte portuguesa e com uma atividade ininterrupta até aos dias de hoje. Uma cooperativa de artistas que iniciou a sua actividade em 1979, constituindo-se em todo o seu percurso, como um exemplo de resistência cultural, de autonomia, de afirmação nas diversas vertentes estéticas contemporâneas, de liberdade criativa e institucional.

Para assinalar este ano os seus «40 ANOS A FAZER DIFERENÇA» a Cooperativa Diferença tem vindo a organizar diversos eventos artísticos, decorrendo actualmente, no seu espaço de galeria, duas exposições em simultâneo, que ainda podem ser visitadas até dia 18 de Maio1.

A exposição de «Túlia Saldanha», de Túlia Saldanha (1930-1988), estará até dia 18 de Maio na Galeria Diferença, em Lisboa. Créditos

A exposição Keep in Touch de Ernesto de Sousa (1921-1988)2, uma das figuras mais marcantes e singulares na arte do século XX, apresenta-nos parte do acervo que pertence à colecção particular de Isabel Alves e Ernesto de Sousa: livros, postais, desenhos, envelopes de correspondência (alguns deles desenhados), fotografias, entre muitos outros objectos e documentos. A outra exposição é de Túlia Saldanha (1930-1988)3, pioneira da performance em Portugal, onde poderemos observar algumas das suas obras que marcaram um constante radicalismo e ruptura com os academismos da época, trabalhando em pintura, desenho, performance, instalação, ambientes, objectos e acções colectivas, «com um posicionamento particular em relação à importância da experiência artística no desenvolvimento do ser humano e da vida em comunidade» 4.

Túlia Saldanha teve a sua formação no Círculo de Artes Plásticas em Coimbra, onde também frequentou os ateliers de pintura e foi dirigente, entre 1968 e 1988. Foi na Galeria CAP que «em 1971 Túlia Saldanha apresentou a sua primeira instalação com comidas e objetos carbonizados e (ou) pintados paradoxalmente recusando transpor a habilidade e a condição feminina, para a prestação artística. “Ontem, hoje, amanhã, nunca? uma hora vi quando tu eras pequenina muitas vezes à tarde natureza morta queimada”: uma mesa, pequenos bancos, um tabuleiro, instrumentos de cozinha apropriam-se da sala preta evocando as memórias afectivas e o fogo enquanto lugar central e de partilha do espaço doméstico»5.

No âmbito da programação do 40º aniversário da Cooperativa Diferença (1979-2019) poderemos ainda ter oportunidade de ver outras exposições em simultâneo de Alberto Picco // André Gomes, Joaquim Tavares, José Francisco Azevedo e Monteiro Gil (25 de Maio a 15 de Junho) e Ana Vidigal // Hugo Brazão (22 de Junho – 27 de Julho).

Tópico