|teatro

ASTA leva ao palco «A Lã e a Neve» de Ferreira de Castro

A estreia do novo trabalho da covilhanense ASTA – Teatro e Outras Artes acontece a 11 de Maio, no Cine Teatro de Gouveia. A peça estará em cena até 8 de Outubro, em vários pontos do País.  

Créditos / ASTA

A peça de teatro Lano Kaj Neĝo (A Lã e a Neve, na língua esperanto) debruça-se sobre o romance de Ferreira de Castro, onde retrata as dificuldades e reivindicações dos operários têxteis do Interior durante a Segunda Guerra Mundial.  

«Enquadrada nos anos 40 do séc. XX, durante o período da Segunda Guerra Mundial e com a ditadura em Portugal como pano de fundo, olha-se para a Serra isolada e para as condições precárias em que vivem aqueles serranos, e olha-se para o auge do mundo industrial e têxtil na Covilhã onde o trabalho se torna uma reivindicação social importante», lê-se na sinopse.

A peça acompanha o percurso de Horácio, desde pastor em Manteigas até alcançar o sonho de se tornar tecelão numa fábrica na Covilhã, onde se confronta com a dura realidade do operariado. 

Sobre a escolha do esperanto, a ASTA recorda que a língua é referida na obra castriana através de um personagem emblemático e fulcral para a narrativa – Marreta, que se torna amigo de Horácio e representa a busca dos ideais progressistas que Ferreira Castro subliminarmente insere.

«Ferreira de Castro coloca-nos perante a busca incessante dos homens e das mulheres por melhores condições de vida, esperando que um dia chegue esse tal "mundo novo" a que todos aspiram», sublinha a companhia.

O coreógrafo e bailarino Miguel Pereira, que está actualmente em residência artística na Casa da Cultura de Famalicão da Serra (Guarda), é, segundo a ASTA, o «timoneiro deste projecto», cuja interpretação está a cargo de Bruno Esteves, Carmo Teixeira e Sérgio Novo.

A estreia acontece no próximo sábado, pelas 21h30, no palco do Cine Teatro de Gouveia, no distrito da Guarda. O trabalho vai estar em cena até 8 de Outubro em localidades como a Guarda, Covilhã, Beja, Porto, Vila Franca de Xira, Évora e Idanha-a-Nova. 

Tópico