Trabalhadores do comércio em greve no 1.º de Maio

Os trabalhadores do comércio, escritórios e serviços fazem hoje greve por aumentos salariais, pela contratação colectiva, contra a precariedade e a repressão.

Trabalhadores do Pingo Doce lutam contra discriminação salarial
Trabalhadores do Pingo Doce lutam contra discriminação salarialCréditosFernando Veludo / Agência LUSA

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) emitiu um pré-aviso de greve para o dia de hoje, para todos os trabalhadores, e apela à participação nas manifestações da CGTP-IN.

Esta é a continuidade de um processo de luta que recentemente teve expressão em diversas acções durante a primeira quinzena de Abril, onde os trabalhadores aprovaram a greve a realizar neste Dia Internacional do Trabalhador. Vão continuar em luta pelo aumento dos salários para todos, por horários humanizados e regulados e pela negociação e cumprimento da contratação colectiva.

Lutam ainda pelo fim da precariedade, pela valorização das carreiras e categorias profissionais, pelo fim das pressões e repressão e pelo «respeito pelo 1º de Maio – Dia Internacional do Trabalhador».

Para além da participação nas iniciativas convocadas pela CGTP-IN, estão marcadas várias acções sectoriais, nomeadamente concentrações no Lidl, nos entrepostos da Marateca e Torres Novas, uma concentração no Centro João Paulo II, em Fátima, concentração e desfile dos trabalhadores da Santa Casa da Misericórdia de Chaves, concentração no Pingo Doce de Espinho, concentração no Minipreço da baixa de Coimbra e piquetes de greve no Jumbo de Alverca, no Continente de Portimão e no Lidl de Silves.