|INATEL

Trabalhadores da Fundação INATEL exigem respeito pelos compromissos assumidos

Concentrados junto à sede da fundação, em Lisboa, dezenas de trabalhadores reivindicaram o cumprimento do Acordo de Empresa, designadamente o pagamento dos subsídios devidos.

Créditos / Sindicato de Hotelaria do Algarve

A administração da Fundação INATEL pretende alterar unilateralmente os horários, de modo a não pagar o subsídio de turno, desde o início do mês de Julho, a todos os trabalhadores que exercem funções em horário por turnos, denuncia a Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal (Fesaht/CGTP-IN).

Esta tarde, os trabalhadores estiveram concentrados em protesto frente à sede da Fundação, em Lisboa, e aprovaram uma moção que pretende pressionar a administração para voltar às negociações.

Outra das reivindicações está relacionada com o facto de, ao contrário do que ficara acordado, a administração não estar a aplicar as normas do Acordo de Empresa negociado com os sindicatos no que toca ao trabalho por turnos ou o descanso semanal, tendo-se recusado a discutir aumentos salariais para 2019 e 2020.

Tópico