|greve

Trabalhadoras da CURPIC em luta pelo pagamento do salário na íntegra

As funcionárias da associação de solidariedade social na Charneca da Caparica estão em greve para exigir o pagamento integral do salário, assim como do subsídio de Natal, em falta.

Piquete de greve junto às instalações da CURPIC, na manhã de 24 de Janeiro de 2022 
Piquete de greve junto às instalações da CURPIC, na manhã de 24 de Janeiro de 2022 Créditos / CESP

As trabalhadoras, que estão hoje em greve, constituíram um piquete de manhã cedo à entrada das instalações da CURPIC – Comissão Unitária Reformados e Pensionistas da Charneca, junto a uma faixa em que deixam visível a exigência do «pagamento da retribuição e do subsídio de Natal em atraso».

Numa nota, o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP/CGTP-IN) afirma que as funcionárias da CURPIC recebem há vários anos o seu salário a prestações, sendo que «a instituição recebe da Segurança Social e dos utentes».

«Com este comportamento irresponsável da instituição, as trabalhadoras e suas famílias estão a passar dificuldades várias», enfrentando ainda «a suspensão do fornecimento de serviços essenciais» que todos os meses têm de pagar, como a «conta da água, electricidade, renda da casa, etc.», alerta o CESP.

Aquilo que se impõe, refere o sindicato, é que a CURPIC «cumpra as suas obrigações legais para com quem todos os dias dá o seu melhor», pagando integralmente os salários dos seus trabalhadores no final de cada mês e pagando de imediato o subsídio de Natal em falta.

Tópico